Aston Martin estreia na bolsa de Londres com ações em queda – Isto É

As ações Aston Martin tiveram queda de 5% no seu primeiro dia na bolsa de valores de Londres, nesta quarta-feira (3). Os papéis iniciaram o pregão com valor de 19 libras, mas caíram para 17,75 libras momentos depois. A marca britânica, uma das maiores referências no segmento de luxo, é avaliada em 4,3 bilhões de libras (22 bilhões de reais).

A montadora disponibilizou 25% de seu capital ao mercado. A operação, uma das mais esperadas do ano, é a mais importante no setor automotor desde que a italiana Ferrari entrou para Wall Street, em 2015. Apesar do histórico conturbado da empresa – foram sete falências em 105 anos de história -, houve muita expectativa sobre a venda de ações.

“A entrada na Bolsa representa uma etapa histórica para a Aston Martin e estamos satisfeitos de ver a boa recepção que tivemos dos investidores de todo o mundo”, comemorou Andy Palmer, CEO da empresa, informou a AFP.

A operação prevê a venda de ações de seus principais proprietários: o fundo italiano Investindustrial, os investidores kuwaitianos Adeem Investments e a empresa de investimentos Primewagon.

A montadora alemã Daimler, que possui 4,9% do capital, conserva toda sua participação e se comprometeu a não vendê-la durante pelo menos um ano a partir da entrada da Aston Martin no mercado.

Retomada no crescimento

A venda de ações aumentará pelo menos 1 bilhão de libras para a empresa. Em agosto, a Aston Martin divulgou lucros semestrais de 42 milhões de libras. O balanço acompanha uma retomada do controle de gastos. Depois de enfrentar dificuldades financeiras no início da década, a montadora voltou a registrar resultados positivos em 2017, o que não acontecia desde 2010.

Fundado em 1913 por dois sócios em Londres, o grupo Aston Martin ganhou fama ao integrar competições automobilísticas. O prestígio da marca aumentou com a participação dos modelosnos filmes do agente secreto James Bond.

Novos mercados

Andy Palmer, ex-executivo da Nissan, projeta o crescimento da marca nos próximos anos. As iniciativa integram os mais variados segmentos, desde casas de luxo, a carros elétricos voadores e submarinos pessoais, disse a BBC.

Porém, no segmento de veículos tradicionais, a empresa espera crescimento de até 6,4 mil unidades em 2018 e a produção de 10 mil até 2020. Parte de sua estratégia de recuperação envolve o direcionamento de compradores do sexo feminino. O desafio parece enorme, visto que em 105 anos, apenas 4 mil unidades foram vendidas para mulheres.

 

O post Aston Martin estreia na bolsa de Londres com ações em queda apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!