Café: Colheita de Arábica 2018/19 Termina no Brasil – Investing.com

Em setembro, a colheita da temporada 2018/19 de arábica foi praticamente finalizada, apesar de as chuvas no mês terem atrasado levemente os trabalhos, de acordo com informações do Cepea. Assim, na maior parte das regiões acompanhadas, restam apenas uma pequena parcela de grãos nos terreiros para ser beneficiada e a colheita de poucas lavouras tardias. As precipitações favoreceram a abertura de uma nova grande florada nos cafezais. Quanto ao , chuvas esporádicas seguem ocorrendo no Espírito Santo, auxiliando no pegamento das flores. Em Rondônia, o clima também segue favorável, sendo que algumas lavouras já entraram em fase de desenvolvimento do chumbinho.

ARROZ: PRODUTOR FIRME E INDÚSTRIAS ATIVAS ELEVAM PREÇO EM SETEMBRO

Em setembro, o Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros subiu 1,51%, fechando a R$ 45,75/sc de 50 kg no dia 28. Segundo pesquisadores do Cepea, de modo geral, indústrias estiveram voltadas a novas compras de casca para repor seus estoques, ora ofertando apenas valores para o arroz depositado ora também para o arroz “livre”. Parte dos orizicultores, por sua vez, seguiu recuada, na expectativa de novos aumentos de preço para as próximas semanas e da procura de lotes para exportação. Além disso, orizicultores estão voltados às atividades de semeio. Porém, as frequentes chuvas registradas na última semana de setembro paralisaram o plantio, além de terem trazido preocupação quanto à possibilidade de replantio de algumas áreas.

ALGODÃO: INDICADOR OSCILA, MAS FECHA COM LEVE ALTA EM SETEMBRO

De acordo com dados do Cepea, as cotações da pluma oscilaram levemente no mês passado, mas fecharam o período com pequeno aumento. De 31 de agosto a 28 de setembro, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, subiu 0,21%. Como parte da pluma beneficiada tem sido direcionada às entregas de contratos, os valores internos acabaram se sustentando ao longo de setembro. Em relação às negociações, a disparidade entre o vendedor e o comprador quanto ao preço e à qualidade da pluma limitou os fechamentos.

UVA: BRS VITÓRIA SE MANTÉM NO MAIOR PREÇO DESDE JUNHO

As cotações da uva BRS vitória se mantiveram praticamente estáveis no Vale do São Francisco (PE/BA) na última semana de setembro, a R$ 6,27/kg, após registrarem forte alta de 40% no período anterior. De acordo com a série histórica do Hortifrúti/Cepea, este é o maior preço nominal observado desde a segunda quinzena de junho deste ano. Segundo colaboradores do Cepea, a boa demanda por esta uva e o escoamento à União Europeia têm garantido bons preços aos produtores. Ainda, com a consolidação da variedade no Vale (SA:), produtores têm aperfeiçoado as práticas de manejo em campo, conseguindo alcançar qualidade superior frente aos últimos anos.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!