Bolsonaro diz que não irá privatizar Banco do Brasil, Caixa e Furnas – Exame

No início desta semana, o mercado financeiro reagiu mal a comentários de Bolsonaro sobre as estatais “estratégicas”

Por Estadão Conteúdo

access_time 13 out 2018, 09h48

São Paulo – O candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, voltou a defender a não privatização de empresas estatais “estratégicas” nesta sexta-feira, 12, em transmissão ao vivo no Facebook, e citou Banco do Brasil, Caixa Econômica e Furnas entre os exemplos do que não planeja ceder à iniciativa privada.

“Temos 150 estatais. No primeiro ano, umas 50 que foram criadas pelo PT vamos mandar para o espaço. Para outras 50, vai ter que ter critério, um modelo com responsabilidade, talvez uma golden share,”, disse Bolsonaro. “O que for estratégico não pode privatizar”, repetiu, citando os bancos públicos e a hidrelétrica.

No início desta semana, o mercado financeiro reagiu mal a comentários de Bolsonaro sobre as “estratégicas”, cuja manutenção vai na direção oposta da cartilha liberal de seu guru econômico, Paulo Guedes. Entre as mais afetadas pelas declarações, estiveram Eletrobras e Petrobras, cujos papéis perderam, respectivamente, 9,1% e 3,7% de seu valor na última segunda-feira.

Apesar das discordâncias, o presidenciável negou problemas com Guedes ou com a cúpula do partido. “Não estou batendo de frente com Paulo Guedes de jeito nenhum. Concordo com 90% do que ele diz e ele concorda 90% do nosso lado. Está bem encaminhado esse casamento.”

Bolsonaro fez a live acompanhado de Luiz Philippe de Orleans e Bragança, eleito deputado federal por São Paulo pelo PSL. Na transmissão, ele não comentou a tentativa do ex-prefeito e candidato do PSDB ao governo de São Paulo João Doria de encontrá-lo esta tarde.

Doria viajou ao Rio para ir à casa do empresário Paulo Marinho, onde Bolsonaro iria gravar nesta sexta-feira. O presidenciável, no entanto, cancelou a gravação alegando indisposição.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!