Pressionado por alimentos, IPC-Fipe tem alta de 0,48% em outubro

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), na cidade de São Paulo, fechou outubro com alta de 0,48%. Em setembro, a inflação medida pelo indicador ficou em 0,39%.

O grupo da alimentação teve a maior alta (1,21%). Os alimentos in natura registraram elevação de 6,45%. O tomate subiu 59,69% no mês e a batata teve alta de 18,53%. Também tiveram altas expressivas o limão (13,48%) e o pimentão (15,52%). Os alimentos industrializados tiveram alta de 0,47% e alimentação fora do domicílio de 0,26%.

Os gastos com transportes registraram um aumento de 0,54%. Contribuíram para o resultado a alta de 1,66% da gasolina e de 5,14% do etanol. Os valores relacionados ao transporte público ficaram estáveis.

O grupo habitação teve elevação de 0,16%. Os custos para manutenção do domicílio tiveram alta de 0,25% e com aluguel de 0,22%. Os valores relacionados a energia elétrica subiram 1,08%. Os gastos com saúde tiveram alta de 0,36% sob influência da inflação de 0,70% dos contratos de assistência médica.

Os grupos de educação e vestuário tiveram pequenas variações, com altas de 0,04% e 0,06% respectivamente. As despesas pessoais tiveram elevação de 0,22%, com alta de 0,77% dos artigos de higiene e beleza.

Edição: Sabrina Craide

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!