Vendas em supermercados no país sobem 1,6% em outubro e 1,9% no ano – Exame

Os itens que mais encareceram em relação ao mês anterior foram tomate (57,8%), batata (9,09%), cebola (7,74%) e arroz (3,68%)

Por Gabriela Mello, da Reuters

access_time 30 nov 2018, 18h06 – Publicado em 30 nov 2018, 18h05

São Paulo – As vendas de supermercados no Brasil em outubro cresceram 1,58 por cento em termos reais ante igual período de 2017 e 0,45 por cento sobre setembro, informou nesta sexta-feira, 30, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

No ano até outubro, o setor apurou crescimento real de 1,9 por cento em relação aos dez primeiros meses do ano passado. O desempenho acumulado fica aquém da alta de 2,53 por cento projetada pela Abras para 2018, mas a associação pondera que dezembro será um mês significativo para os supermercados, com a chegada do 13º salário e as festas de Natal e Ano Novo.

“Estamos otimistas e acreditamos que o rendimento adicional auxiliará em bons resultados para o nosso setor”, afirmou o presidente da Abras, João Sanzovo Neto, em nota à imprensa. Segundo ele, o consumidor estava cauteloso nos últimos meses, sobretudo por causa de incertezas no cenário político-econômico desencadeadas pelo processo eleitoral, mas já se percebe sinais de retomada da confiança.

Preço da cesta e dos produtos

Em outubro, a cesta de produtos Abras mercado teve alta nominal de 3,83 por cento sobre igual mês de 2017 e de 0,78 por cento ante setembro, para 463,88 reais. Os itens que mais encareceram em relação ao mês anterior foram tomate (57,8 por cento), batata (9,09 por cento), cebola (7,74 por cento) e arroz (3,68 por cento). Na outra ponta, leite longa vida, ovo, massa sêmola espaguete e café torrado e moído tiveram as maiores quedas de preço.

Segundo a pesquisa, todas as regiões tiveram alta no valor da cesta, com exceção da região Norte, que teve retração de 2,25 por cento.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!