Alimentos puxam aumento da inflação na cidade de São Paulo

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela que alimentos puxaram alta da inflação no município de São Paulo em novembro.

De janeiro a novembro de 2018, a taxa acumulada foi de 4,10% e a variação anual, entre dezembro de 2017 e novembro de 2018, foi 4,39%.

Segundo o Dieese, entre os grupos abordados pela pesquisa, o setor de alimentação apresentou variação de 0,80%. Transporte registrou 0,62%, vestuário, 0,33%, recreação, 0,22%, educação e leitura, 0,14%, despesas pessoais, -0,12%, habitação, -0,17%, equipamentos domésticos, -0,32%; e despesas diversas, -0,53%.

No grupo da alimentação, os legumes apresentaram a maior variação no aumento de preços (17,72%), com destaque para o tomate, com 41,37% entre outubro e novembro. Na sequência estão as raízes e tubérculos (11,97%), hortaliças (5,99%), frutas (2,29%), e aves e ovos (0,77%). Entre os alimentos que apresentaram recuo nos preços estão  carnes (0,02%), os grãos -0,03%) e leite (0,42%).

Entre dezembro de 2017 e novembro de 2018,  o grupo transporte apresentou variação de 9,80%, educação e leitura com 4,97%, despesas diversas 4,77% e habitação com variação de 4,39%.

*Estagiário sob supervisão de Alexssander Soares.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!