Aneel aprova reajuste nas contas de luz do AC, RO e AP

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (11) o primeiro reajuste tarifário das empresas Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) e Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) após a privatização das distribuidoras, subsidiárias da Eletrobras. As duas empresas foram vendidas para o grupo Energisa, em leilão realizado no final de agosto. Os novos valores passam a valer a partir da próxima quinta-feira (13). 

A Eletroacre atende 263 mil unidades consumidoras localizadas no estado do Acre. De acordo com a Aneel, o reajuste foi calculado com os resultados do deságio do leilão, o que resultou em redução do índice tarifário em 3,42 pontos percentuais, com isso, o aumento que teria o efeito médio inicial de 24,71% ficou em 21,29%. Para os consumidores residenciais, o aumento será 19,60%.

“O deságio do leilão incidiu no percentual de perdas regulatórias não técnicas e nos custos operacionais referentes ao reajuste tarifário de 2017, contribuindo para a redução do índice final”, disse a Aneel.

Já no caso da Ceron, que atende 641 mil unidades consumidoras localizadas em 52 municípios de Rondônia, o deságio do leilão resultou em redução do índice tarifário em 1,81 pontos percentuais. Desta forma, o efeito médio inicial de 32,25% caiu para 30,44%.

A Aneel informou ainda que o Grupo Energisa solicitou diferimento do reajuste para amenizar o impacto tarifário para os consumidores da Ceron. “A agência aprovou o diferimento que reduziu o reajuste [média] para 25,34%. Para os consumidores residenciais o reajuste será 24,58%”, disse a Aneel.

A agência disse que o índice de reajuste da Ceron deve-se principalmente ao impacto dos componentes financeiros. “Nessa rubrica, houve a compensação dos valores de compra de energia não considerados no valor médio concedido na tarifa [CVA Energia] definida no último processo tarifário. Ou seja, a distribuidora teve ao longo do ano passado custos mais altos do que o concedido via tarifa para aquisição de energia e que foram incorporados ao processo tarifário deste ano”, disse a Aneel.

Amapá

Durante a reunião desta terça-feira, a Anel aprovou ainda o reajuste médio de 4,6% para os consumidores da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). O efeito tarifário é resultante do reajuste anual da empresa. O processo terá impacto médio de 5,35% para os consumidores atendidos em baixa tensão, de 2,22% para os de alta tensão e 5,33% para o residencial. O efeito médio para o consumidor será 4,6%. A CEA atende 205 mil unidades consumidoras em 16 municípios do Amapá.

As novas tarifas vigoram a partir da data de publicação da resolução no Diário Oficial da União. De acordo com a Aneel, contribuíram para o resultado os custos de compra de energia e a inclusão de componentes financeiros relativos à variação das despesas com esses contratos.
 

Edição: Fábio Massalli

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!