Governo aproveitará PEC da Previdência enviada por Temer, diz Marinho – Exame

Texto elaborado durante gestão do ex-presidente está em tramitação na Câmara dos Deputados

Por Reuters

access_time 18 jan 2019, 20h54 – Publicado em 18 jan 2019, 19h48

O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse nesta sexta-feira que está definido que será aproveitado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera regras previdenciárias atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados e enviado ao Congresso pelo governo do ex-presidente Michel Temer.

O texto, disse Marinho, está sendo “refinado” pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e apresentado ao presidente Jair Bolsonaro ponto a ponto ao longo dos dias, e não apenas com um texto fechado. Ele destacou que o grupo de elaboração da reforma está considerando cenários, fazendo cálculos atuariais, consultando pessoas e submetendo os elementos para avaliação do presidente. “Os parâmetros de linhas gerais são dados pelo presidente”, declarou.

Ele destacou que a intenção é fechar uma proposta “com segurança fiscal, que seja uma reforma justa, solidária, que trate o desigual de forma desigual”. Ao ser perguntado sobre os militares, Marinho destacou que há especificidades de militares em relação a civis e disse desconhecer se essas categorias vão entrar no “esforço” pela alteração das regras de aposentadoria. “Se os militares vão entrar nesse esforço ou não, eu não posso garantir a vocês. Eu não tenho essa informação ainda.”

Marinho afirmou ainda que proposta deverá ser apresentada ao Congresso na segunda semana de fevereiro, quando o governo então abrirá a discussão sobre os termos do texto com a sociedade e com a imprensa.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, vai conduzir a articulação política com o Congresso, disse o secretário. “Estamos muito convictos que vai ser uma reforma que vai conseguir ser aprovada no Parlamento e vai ajudar o País”, reforçou o secretário, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto para esclarecer pontos da medida provisória antifraudes no INSS, assinada nesta sexta-feira, 18, pelo presidente da República.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!