E agora? China anuncia menor crescimento em 30 anos – Exame

A segunda-feira será dia de digerir os dados do PIB chinês divulgados na madrugada, reforçando as previsões de que, em 2018, o país teve o menor crescimento econômico em 30 anos. A segunda maior economia do mundo cresceu 6,4% no quarto trimestre e 6,6% no ano. Em 2017, a China havia crescido 6,8%. Analistas consultados pela agência Reuters preveem expansão de 6,3% em 2019.

A redução no ritmo de crescimento está dentro das prévias fornecidas pelo próprio governo e é natural para um país que há três décadas puxa o crescimento da economia global (cerca de um terço da expansão veio da China). Ainda assim, os números reforçam a necessidade de mudança nas políticas econômicas chinesas, e servem como novo lembrete de que as disputas comerciais com os Estados Unidos devem, sim afetar a economia global no curto prazo. Em outubro, o Fundo Monetário Internacional revisou para baixo a previsão de crescimento global tanto para 2018 quanto para 2019, de 3,9% para 3,7%.

Para evitar dúvidas sobre a sustentabilidade de seu projeto econômico, o governo do presidente Xi Jinping, deve acelerar um plano de estímulo, como já fez no passado. O risco é aumentar ainda mais a montanha de débito no país e reforçar a artificialidade de crescimento em setores como a construção civil, com milhares de apartamentos vazios por falta de demanda.

O governo também deve seguir estimulando o consumo interno, parte de um plano recente para mudar o foco do crescimento chinês da exportação para uma economia mais diversificada. Segundo a Reuters, dados divulgados nesta segunda-feira mostram que números como investimentos e vendas no varejos recuaram, levando o consumo para as menores taxas em 15 anos.

Os números desta segunda-feira também devem aumentar a pressão para que a China chegue a um acordo com os Estados Unidos para evitar o início de uma guerra comercial generalizada. Os dois países acertaram uma trégua até março.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!