Davos Para o Bem ou Para o Mal; Bolsas em Queda – Investing.com

Os temores pela desaceleração do crescimento global são oficialmente o mote da realização de lucros vigente em nível internacional.

Localmente, o Brasil sustenta ainda um otimismo pela novidade do governo e na expectativa por informações sobre a reforma da previdência.

Ainda que Davos possa não ser o palco para a divulgação dos detalhes da proposta e de como se dará a articulação para tentar aprovar a pauta no Congresso, a possibilidade de surgir o tema já anima os investidores.

O retorno do referencial das bolsas americanas após o feriado de Martin Luther King só deve ajudar em termos de volume, porém a tensão global continua na abertura dos negócios.

Com o shutdown, além de uma série de problemas que passam os funcionários públicos americanos, diversas agências de estatística simplesmente não funcionam, o que não só atrapalha a divulgação de uma série de indicadores, como também da coleta de dados, o que pode prejudicar diversas séries importantes.

Unem-se tais eventos à guerra comercial e aos temores de atividade econômica mais fraca explicitada pelos participantes do fórum em Davos, está pronto o palco para um movimento forte de correção dos ativos.

Destacam-se hoje Johnson & Johnson (NYSE:), IBM (NYSE:), UBS, Halliburton, Sodexo, Black & Decker e Logitech.

CENÁRIO POLÍTICO
Muito se diz da relação entre vices e presidentes, usualmente turbulentas.

Neste momento, alguns analistas até apontam para um suposto desgaste da relação de Mourão com Bolsonaro.

Todavia, acreditamos que ocorre o contrário.

Com o problema de Flavio Bolsonaro tão à tona, o qual expõe a inexperiência do governo para lidar com crises e ataca o núcleo familiar, Mourão ‘diz o que o presidente não quer dizer’.

Neste sentido, Bolsonaro usa a cadeia disciplinar militar para chamar a atenção de um ‘subordinado’.

Ainda que no passado fossem capitão e general, hoje são chefe máximo da nação e general.

Mesmo assim, o governo Bolsonaro precisa urgente ultrapassar esta curva de aprendizado e aprender a lidar de maneira mais institucional com crises.

Pior será se Flávio for inocente, expondo tal amadorismo.

ABERTURA DE MERCADOS
A abertura na Europa é negativa e os futuros NY abrem em queda, com perspectivas de crescimento global mais fraco.

Na Ásia, o fechamento foi negativo, com os sinais de Davos.

O opera em estabilidade contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam negativos em todos os vencimentos.

Entre as commodities metálicas, queda, com exceção do ouro.

O abre em queda, com perspectiva de crescimento global baixo.

O índice de volatilidade abre em alta de 4%

CÂMBIO
Dólar à vista : R$ 3,7602 / 0,16 %
Euro / Dólar : US$ 1,14 / -0,026%
Dólar / Yen : ¥ 109,45 / -0,201%
Libra / Dólar : US$ 1,29 / 0,178%
Dólar Fut. (1 m) : 3761,10 / -0,22 %

JUROS FUTUROS (DI)
DI – Janeiro 20: 6,54 % aa (-0,12%)
DI – Janeiro 21: 7,34 % aa (0,00%)
DI – Janeiro 22: 8,01 % aa (-0,25%)
DI – Janeiro 25: 8,92 % aa (-0,34%)

BOLSAS DE VALORES
FECHAMENTO
: -0,09% / 96.010 pontos
: 1,38% / 24.706 pontos
: 1,03% / 7.157 pontos

: -0,47% / 20.623 pontos
: -0,70% / 27.005 pontos
: -0,54% / 5.859 pontos

ABERTURA
: -0,099% / 11125,15 pontos
: -0,245% / 4855,83 pontos
FTSE: -0,374% / 6944,52 pontos

Ibov. Fut.: -0,19% / 96266,00 pontos
S&P Fut.: -0,528% / 2657,50 pontos
Nasdaq Fut.: -0,766% / 6740,75 pontos

COMMODITIES
Índice Bloomberg: -0,81% / 80,58 ptos

Petróleo WTI: -1,36% / $53,07
:-1,32% / $61,91

: 0,30% / $1.284,35
: 0,86% / $75,15

: 0,42% / $16,56
: -0,26% / $380,25
: 2,49% / $104,65
: -0,23% / $12,93

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!