BNDES aprova programa de financiamento coletivo para área da cultura

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou hoje (22) a aprovação do Programa Matchfunding de Cultura BNDES, que prevê que a cada R$ 1 captado por projeto o banco investirá R$ 2, limitado ao valor máximo de R$ 300 mil por projeto.

De acordo com a instituição, trata-se de uma iniciativa inovadora de matchfunding (financiamento coletivo misto de diversas fontes) no setor público para apoio a projetos culturais de patrimônio material e imaterial. Os projetos escolhidos pela sociedade para receber doações por meio de “vaquinha” online, ou financiamento coletivo, como é conhecido o crowdfunding, poderão receber até R$ 4 milhões em recursos não reembolsáveis do banco. Cada projeto apoiado poderá ter valor entre R$ 30 mil e R$ 300 mil.

 O BNDES informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que os recursos totais poderão alcançar R$ 6 milhões, por meio de doações de pessoas interessadas nos projetos.

O gerente no Departamento de Educação e Cultura do BNDES, Eduardo Bizzo, destacou que o financiamento para o setor da culturaé uma forma de estruturar e testar um mecanismo em que a sociedade participa como parceira do banco, não só como cofinanciadora, mas dando legitimidade, reconhecimento e capacidade de fiscalização aos projetos”.

Projetos menores

Bizzo ressaltou que um dos pontos positivos do programa é o alcance a projetos menores a partir de R$ 30 mil, que o banco não poderia apoiar de forma direta.

O programa será conduzido pela Sitawi Finanças do Bem, organização da sociedade civil que atua no campo das finanças sociais, e terá como interveniente a Benfeitoria, empresa que opera uma das principais plataformas de crowdfunding no país. A expectativa é que sejam apoiados até 80 projetos selecionados ao longo de 2019 e 2020 por meio de edital.

Serão realizadas a cada ano cinco seleções, prevendo-se a escolha de oito projetos em cada uma. Segundo a instituição, a curadoria do Programa Matchfunding de Cultura BNDES será responsável pela seleção inicial de propostas que possam deixar legado para o patrimônio material ou imaterial brasileiro envolvendo temas como digital/mídia/games, educação patrimonial, turismo e acervo. Os critérios para a seleção serão divulgados quando a chamada for aberta.

Os responsáveis pelos projetos receberão treinamento visando as campanhas de arrecadação, para que possam captar os recursos necessários à execução das propostas. Após a etapa, os projetos serão apresentados na plataforma do programa no site Benfeitoria, de maneira que o público possa conhecê-los e começar a fazer doações aos que julgarem mais interessantes.

Só serão apoiadas ações que apresentarem índice mínimo de pulverização de recursos. O banco pretende com isso que sejam realizadas efetivamente ações com amplo engajamento popular.

A presidente da Benfeitoria, Tati Leite, avaliou que o programa do BNDES é o mais importante desde o lançamento da plataforma, porque ele “valida o matchfunding, inaugurado no Brasil em 2015, como ferramenta estruturante para outros agentes de fomento.

Edição: Maria Claudia

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!