A Alta da Bolsa Acabou de Começar – Investing.com

O principal índice de ações brasileiras já acumulou uma alta impressionante de 8,6% em 2019, que chega a subir 11,7% ao incluir o último pregão de 2018.

E agora? Já subiu muito? É hora de comprar?

Eu recebo todos os dias perguntas dos meus leitores sobre o assunto.

A minha resposta é categórica: a alta do está apenas no começo e as ações de empresas brasileiras tem muito espaço para se valorizar na bolsa de valores.

Dessa vez é diferente

Pretendo aqui fundamentar a minha opinião com indicadores do mercado doméstico e mostrar as razões do meu otimismo com a bolsa de valores e porque eu acredito que a alta está apenas no início.

Acredito que existem indicadores de mercado que dão sustentação à alta do Ibovespa:

Queda da taxa de juros futuras

As taxas de juros reais de longo prazo, representadas pelos títulos públicos do Tesouro Direto IPCA+ (NTN-B’s) apresentaram forte queda desde setembro de 2018. A NTN-B principal com vencimento em 2035 caiu de IPCA+5,8% em set/18 para IPCA+4,6% atualmente, uma redução expressiva de 120 pontos percentuais.

As taxas de juros pré-fixadas futuras também apresentam forte queda. A taxa futura do DI com vencimento em 2025 caiu de 12,5% em setembro para cerca de 9% em janeiro, uma redução de 300 pontos percentuais

Redução do risco país

O risco-país, medido pelo CDS (credit default swap) de 5 anos, está em trajetória de queda: de 310 pontos em setembro de 2018 para 180 pontos em janeiro de 2019. Vale lembrar que o CDS é o seguro contra o calote da dívida externa do Brasil.

Essa queda no risco-país é reflexo da melhora na percepção do investidor em relação ao Brasil e tem relação direta com a expectativa da realização da Reforma da Previdência, com redução do déficit fiscal e redução do tamanho do Estado.

Tripé macroeconômico

A inflação medida pelo IPCA terminou 2018 com alta de 3,5% ao ano, abaixo da meta de 4,5%.

A taxa de juros Selic está em 6,5% e deve terminar 2019 em 7% ao ano.

A expectativa de crescimento da economia (PIB) é de 2,53% em 2019 e 2,6% em 2020, segundo dados do relatório focus do Banco Central.

Importante observar que a projeção de crescimento do PIB em 2019 e 2020 está sendo revisada para cima (PIB de 2020 de 4,5% para 4,6% de crescimento), reagindo à dados melhores da economia

Acredito que a virada no ciclo econômico é bastante significativa para as empresas brasileiras e os preços das suas ações na bolsa de valores, com forte crescimento do lucro projetados das empresas por volta de 20% em 2019.

Desafio 2008-2018

Em 20 de maio de 2008 o Ibovespa atingiu o seu pico histórico de 73.518 pontos. O Ibovespa em era de 44.368 pontos, com taxa de câmbio de R$ 1,6570 por dólar.

O Ibovespa atingiu novo recorde em 24 de janeiro aos 97.677 pontos, com taxa de câmbio de R$ 3,7626 por dólar, o Ibovespa em dólar está em 25.960 pontos, 42% abaixo do nível de maio de 2018.

Para atingir o mesmo nível em dólar de 2008, o Ibovespa teria que chegar a 166.940 pontos com a taxa de câmbio no nível atual, uma alta de 71% em relação ao pico de janeiro.

Previsão de Ibovespa

O mercado sempre trabalha com uma projeção de Ibovespa no final do ano. O consenso de mercado vê o Ibovespa entre 110-130 mil pontos em dezembro de 2019. Esse alvo depende bastante da aprovação das reformas, especialmente a da Previdência.

Como eu não fico em cima do muro, acredito que o Ibovespa pode atingir a faixa entre 150-160 mil pontos em dois anos.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!