É muito cedo para avaliar impacto de sanções dos EUA à Venezuela, diz IEA – Exame

Nova Délhi – A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) ainda precisa avaliar o impacto das últimas sanções dos Estados Unidos sobre a oferta de petróleo venezuelana, disse seu diretor-executivo nesta quarta-feira.

“É muito cedo para falar sobre a Venezuela e estamos acompanhando os eventos muito de perto”, disse Fatih Birol à Reuters durante um evento do setor em Nova Délhi.

Na segunda-feira, o governo Trump impôs sanções à petrolífera estatal venezuelana PDVSA, com o objetivo de conter as exportações de petróleo do membro da Opep para os Estados Unidos e pressionar Nicolás Maduro a renunciar ao cargo de presidente.

Operadores de mercado já começaram a procurar maneiras de contornar as sanções, que atingirão 500 mil barris por dia (bpd) de petróleo que os Estados Unidos importam da Venezuela. A Índia e China são os outros principais importadores de petróleo venezuelano.

Quando questionado sobre se a IEA vê os mercados de petróleo se apertando este ano, Birol disse: “O mercado está atualmente muito bem suprido e há muito petróleo “shale” dos EUA entrando no mercado”.

“Há muitas incertezas nos mercados de petróleo neste momento por diferentes razões. Estamos acompanhando as incertezas na América Latina, no Oriente Médio e na Ásia também”, disse ele.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!