Expectativa é economizar R$ 1 tri em 10 anos com Previdência, diz Guedes – Exame

Equipe econômica pretende enviar proposta ao Congresso ainda em fevereiro; Maia acredita que se aprovada na câmara até maio, em junho passa no Senado

Por Marcela Ayres, da Reuters

access_time 5 fev 2019, 19h01 – Publicado em 5 fev 2019, 17h09

Brasília – O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira que o governo busca uma economia de pelo menos 1 trilhão de reais em 10 anos com a reforma da Previdência que encaminhará ao Congresso Nacional, cujos detalhes seguem na mesa de discussão.

Guedes ressaltou, em entrevista a jornalistas após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o time econômico segue calibrando o texto da reforma e que o presidente Jair Bolsonaro ainda tem que bater o martelo a respeito.

“Ele tem o cálculo político dele, não adianta mandar proposta que não é aceita”, disse o ministro.

Segundo Guedes, o governo tem duas ou três versões alternativas e o material será devidamente apresentado a Bolsonaro após o presidente retomar sua rotina, após ter passado por uma cirurgia na semana passada, para a retirada de uma bolsa de colostomia.

O ministro ressaltou ainda que a reforma seguirá o rito democrático convencional, após Maia ter afirmado a jornalistas que o texto não poderia ir direto a plenário, como inicialmente aventado pela equipe econômica.

“Importante é que ela (reforma) tenha potência fiscal para resolver o problema, a primeira coisa. Segundo que ela inaugure um período novo para Previdência, nós vamos ter um novo regime trabalhista a previdenciário”, afirmou o ministro da Economia.

Guedes também disse que a reforma é uma construção democrática do governo, destinada a desarmar um “mecanismo perverso de transferência de renda”, e que a mídia vai entender as linhas estruturantes da proposta e não cair na armadilha corporativista dos que “vazam e tentam atacar o tempo inteiro”.

A fala veio um dia após uma minuta da proposta ter vindo a público, com detalhes como a fixação de idade mínima de 65 anos tanto para homens como para mulheres e a necessidade de contribuição por 40 anos para acesso integral ao valor da aposentadoria.

O ministro afirmou que o governo será “bem mais preciso” sobre a Previdência muito brevemente, já que ainda está acertando a formatação final da proposta.

(Por Marcela Ayres)

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!