Resultados da Apple Renovaram as Esperanças, mas ainda Há Muito o que Fazer – Investing.com

Depois de uma desvalorização de quase 30% desde a máxima histórica atingida em outubro, as ações da Apple (NASDAQ:) tiveram uma forte recuperação com a divulgação dos resultados do primeiro trimestre do ano fiscal de 2019, no fim de janeiro.

Com ganhos de aproximadamente 10% desde o balanço, os investidores da Apple renovaram suas esperanças nessa gigante da tecnologia, cujas ações foram uma das mais castigadas do setor nos últimos três meses.

Os investidores ficaram animados ao ver que a companhia está tendo um forte desempenho em outros segmentos de negócio, os quais podem compensar a queda das vendas do iPhone, que ainda responde por 60% das vendas totais.

Embora as vendas de iPhones tenham caído 15% no trimestre encerrado em 31 de dezembro, as vendas de iPads saltaram 17%, e as de dispositivos e acessórios relacionados cresceram 33%, juntamente com a área de serviços da Apple, que apresentou um crescimento de 19% na comparação anual. As vendas combinadas desses segmentos tiveram uma alta história no trimestre.

Vida além dos iPhones

A difícil situação em que se encontra a Apple é clara. Ela precisa diversificar sua fonte de receitas com a rapidez necessária para manter seu motor de crescimento em operação, em um momento de desaceleração do seu negócio principal.

Sem dúvida, trata-se de um grande desafio, mas não tão difícil que a empresa não possa superar. A Apple possui uma das maiores reservas de caixa no mundo corporativo e um histórico de surpreender seus clientes com inovações.

Os resultados do primeiro trimestre nos deram algumas indicações de que a companhia já está se mexendo. As despesas com pesquisa e desenvolvimento, por exemplo, alcançaram o recorde de US$ 3,9 bilhões no trimestre, uma alta de 15% na comparação anual. A companhia prevê que as despesas operacionais saltarão quase 14% ano a ano no trimestre de março.

Para se preparar para uma vida além dos iPhones, a Apple já está trabalhando em diversas ofertas de produtos que podem reverter do declínio na receita geral. Em sua entrevista à CNBC no mês passado, o CEO da Apple, Tim Cook, declarou que a companhia anunciará novidades “materiais” em sua lista de serviços em 2019.

Os novos serviços serão aqueles nos quais a Apple “já vem trabalhando há vários anos”, segundo Cook. A Apple tem investido em saúde e bem-estar recentemente, depois de se beneficiar do sucesso do Apple Watch e contratar dezenas de médicos para promover seu segmento de tecnologia de saúde.

“Acredito que, quando olharmos para trás no futuro e nos perguntarmos: ‘Qual foi a maior contribuição da Apple para a humanidade?’, a resposta envolverá a saúde”, defendeu Cook.

O outro possível lançamento em 2019 é seu Media Bundle, que pode incluir streaming de vídeo, Apple Music e o aplicativo de notícias Texture. Essas adições seguramente aumentarão a atratividade da família de hardware da Apple e podem ajudar a revigorar as vendas de iPhones.

Outra arma estratégica que a Apple ainda não testou é um iPhone mais em conta, desenvolvido para países de baixa renda, como a Índia. Esse produto sem dúvida colocará um fim na abordagem “um padrão para todos os mercados” da Apple, mas pode revelar um enorme potencial de penetração em mercados onde a empresa precisa se relacionar melhor com os clientes locais.

Não nos surpreenderia se esse produto já estiver em desenvolvimento para aumentar a participação de mercado da empresa na Índia, onde a Apple quase não alcança 1% do mercado de smartphones.

Resumo

É difícil prever se as ações da Apple conseguirão manter os atuais ganhos, em razão do ambiente macro altamente volátil e da indisposição cada vez maior dos investidores com as ações de alto crescimento. Mas, se você é um investidor de longo prazo, é importante lembrar que a Apple tem superioridade financeira e tecnológica para superar seu desafio com o iPhone. Se você investir nesta grande empresa com essa mentalidade, o ruído diário do mercado não deve abalar sua convicção.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!