Coca-Cola: Balanço do 4T Deve Mostrar Crescimento em Vendas e Confirmar Retomada – Investing.com

  • Os resultados do 4T serão divulgados na quinta-feira, 14 de fevereiro, antes da abertura do mercado;
  • Expectativa de receita: US$ 7,03 B;
  • Lucro por ação: US$ 0,43.

A Coca-Cola (NYSE:) – tanto a companhia quanto sua marca de produtos básicos de consumo – raramente recebe a desaprovação dos investidores. Qualquer movimento feito pela gerência da gigante dos refrigerantes para retomar o crescimento faz com que as ações da companhia sejam recompensadas.

Em agosto, por exemplo, quando a empresa sediada em Atlanta anunciou a aquisição da cadeia britânica de estabelecimentos Costa Coffee ao valor de US$ 5 bilhões, muitos analistas questionaram o alto valor pago pela rede de cafés. O negócio fazia parte dos esforços da Coca-Cola de expandir sua receita através da diversificação além das bebidas açucaradas, em direção a categorias premium de crescimento mais rápido.

Críticos do acordo questionaram a capacidade da Coca de fazer essa transformação dar resultado, uma vez que marcas menores no mercado de cafés estavam ganhando a maior parcela do setor. Mas, apesar dessas dúvidas, as ações da KO continuaram apresentando um melhor desempenho em relação às concorrentes e ao mercado mais amplo no último ano. A ação, que fechou o pregão de ontem contada a US$ 49,66, valorizou-se quase 20% nos últimos 12 meses, superando em muito o desempenho do índice de produtos básicos de consumo , que caiu 3% ao longo do mesmo período.

O próximo grande teste da Coca-Cola virá na quinta-feira, quando a marca de bebidas anunciará seus . A expectativa consensual prevê US$ 0,43 de lucro por ação, contra o valor de US$ 0,39 registrado há um ano. A previsão é que as vendas caiam 6.4% para US$ 7,03 bilhões para o mesmo período.

Repique na demanda de refrigerantes diet

No 3T, a gigante dos refrigerantes se beneficiou de um repique na demanda dos produtos diet. Os consumidores voltaram a consumir bebidas com zero caloria que anteriormente recusavam. O volume global de refrigerantes da companhia cresceu 2% em comparação com o mesmo trimestre do ano passado, graças ao aumento das vendas de Coca Diet e Coca Zero.

Esperamos um desempenho similar no quarto trimestre, em razão da força das marcas da companhia, que estão ajudando sua estratégia de recuperação. Muitas iniciativas inteligentes que a Coca-Cola tomou nos últimos anos permitiram que a companhia ficasse à frente da concorrência.

No ano passado, a empresa concluiu o desinvestimento das suas operações de engarrafamento nos EUA, subcontratando com eficiência uma grande variedade de tarefas de logística e distribuição. Esse movimento deve ajudar a Coca em um momento em que os custos nessas áreas estão aumentando, pressionando o crescimento da receita de muitas companhias.

Pelo lado dos produtos, suas bebidas com zero ajudaram a reativar as vendas na América do Norte, onde a companhia teve um crescimento de dois dígitos nos produtos Coca-Cola Zero e Powerade Zero, além de um forte crescimento em marcas de água premium, como Topo Chico e Smartwater.

Acreditamos que essas iniciativas mantêm a Coca-Cola no caminho certo para satisfazer as diferentes necessidades dos consumidores, abrindo, ao mesmo tempo, muitas oportunidades novas de crescimento, especialmente após sua aquisição da Costa. A rede britânica possui 3.800 lojas em todo o mundo, oferecendo à Coca uma presença no varejo da China, bem como de outras partes da Ásia, Oriente Médio, África e Europa. Além disso, oferece um hedge contra a desaceleração das vendas de refrigerantes.

Resumo

Apesar dos atuais desafios, a Coca-Cola continua sendo uma sólida ação pagadora de dividendos para investidores de longo prazo, com um rendimento de 3,14% e proventos trimestrais de US$ 0,39. Há 56 anos consecutivos a companhia vem aumentando sua distribuição de dividendos.

Como se as recentes iniciativas da gerência e os confiáveis dividendos não fossem uma confirmação suficiente da força da companhia e de suas ações, a Coca-Cola possui 21 marcas que geram pelo menos US$ 1 bilhão em vendas anuais, em meio a um impressionante número de 500 marcas globais. Acreditamos que a Coca é uma boa opção defensiva, principalmente quando os riscos para as ações de crescimento aumentaram e os investidores estão jogando na defensiva.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!