Mercados e Política, Combinação Fatal. Idade Mínima da Discórdia – Investing.com

O crescimento do PIB americano acima das expectativas, porém com o índice de preços abaixo da meta do Fed reforça a história recente americana de crescimento econômico robusto, sem consequência inflacionária.

Este é um dos eventos mais importantes deste momento, dadas as projeções médias de um crescimento menos intenso das economias centrais a partir deste ano, ainda que os indicadores econômicos mais recentes ainda não as reforcem.

Para os EUA, o principal evento negativo continua a ser a guerra comercial, em especial com a China, porém a taxação de diversos minérios já se refletiu negativamente em diversos negócios, o que leva aos analistas reforçarem o cenário adverso.

Porém, caso ocorra um entendimento com a segunda maior economia do mundo, até mesmo o Fed deixou claro que este pode ser um evento de mudança de paradigmas, ao dar continuidade ao cenário positivo com o atualmente observado, levando inclusive a autoridade monetária a rever sua posição quanto à elevação de juros neste ano.

Para nós, a história segue mais os parâmetros conhecidos na teoria econômica, afastando o cenário que não raramente observamos no Brasil de inflação sem crescimento.

Desta vez estamos na cartilha, ou seja, sem crescimento e sem inflação.

O problema e a limitação do trabalho do Banco Central é exatamente o peso que se dá às reformas estruturantes e a maneira errática com que as negociações do tema tem sido conduzidas com o congresso.

Pode ser que 2019 seja mais um ano de crescimento pífio, atividade econômica ‘patinando’ e sem acompanhar um possível panorama positivo, em vista à resolução da guerra comercial.

Pesa neste ponto o fator político, que no fim, é humano e imponderável.

CENÁRIO POLÍTICO

Mais uma vez, o presidente Bolsonaro se desencontra com sua equipe econômica, ao citar sua opinião pessoal sobre o que seriam os pontos a serem revistos da reforma da previdência.

Ao lidar com o congresso, o presidente seria o equivalente a um jogador de pôquer com uma boa mão, mas que começa a sorrir e suar de felicidade antes de fazer uma aposta, ou seja, parece que não sabe jogar o jogo.

Dizer que ‘existe gordura para queimar’ e dar aos deputados exatamente o que eles queriam para satisfazer suas bases, argumentos contra pontos da reforma.

Seria cômico, se não fosse trágico.

ABERTURA DE MERCADOS

A abertura na Europa é positiva e os futuros NY abrem em alta, com os sinais de Kudlow sobre a guerra comercial.

Na Ásia, o fechamento foi positivo, puxado pela alta das ações na China continental.

O opera em alta contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam positivos em todos os vencimentos.

Entre as commodities metálicas, queda generalizada, com exceção do cobre e .

O abre em queda, com o recorde da produção americana da commodity.

O índice de volatilidade abre em queda de 2,4%

CÂMBIO

: R$ 3,7564 / 0,72 %

: US$ 1,14 / 0,053%

: ¥ 111,86 / 0,422%

: US$ 1,32 / -0,158%

Dólar Futuros (1 m) : 3748,74 / 0,44 %

JUROS FUTUROS (DI)

DI – Janeiro 20: 6,49 % aa (-0,12%)

DI – Janeiro 21: 7,15 % aa (0,99%)

DI – Janeiro 23: 8,25 % aa (0,73%)

DI – Janeiro 25: 8,78 % aa (0,57%)

BOLSAS DE VALORES

FECHAMENTO

: -1,77% / 95.584 pontos

: -0,27% / 25.916 pontos

: -0,29% / 7.533 pontos

: 1,02% / 21.603 pontos

: 0,63% / 28.812 pontos

: 0,38% / 6.193 pontos

ABERTURA

: 1,052% / 11636,84 pontos

: 0,593% / 5271,59 pontos

FTSE: 0,478% / 7108,55 pontos

: -0,19% / 96161,00 pontos

: 0,564% / 2800,40 pontos

: 0,729% / 7154,25 pontos

COMMODITIES

Índice Bloomberg: 0,09% / 81,56 ptos

: 0,38% / $57,44

:0,03% / $66,33

: -0,34% / $1.308,82

: 1,46% / $83,43

: -0,68% / $16,26

: 0,07% / $362,25

: -0,52% / $95,20

: -0,63% / $12,72

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!