Carnaval movimentou R$ 3,78 bilhões na economia do Rio

O carnaval de 2019 reuniu mais de 7 milhões de foliões no Rio de Janeiro e movimentou R$ 3,78 bilhões em receitas na economia da cidade, divulgou hoje (11) a prefeitura, que comemorou os números, considerados recordes. O balanço considera os dias entre a sexta-feira de carnaval (1º) e o último fim de semana (9 e 10), quando havia megablocos desfilando na cidade.

A receita gerada para os setores de comércio e serviços aumentou 26% em comparação com 2018. A cidade recebeu mais de 1,6 milhão de turistas, que ficaram no Rio durante uma média de sete a 11 dias.

Outro número positivo informado pela prefeitura foi a queda no número de atendimentos nos postos de saúde. Foram 16,4% menos pacientes recebidos nessas unidades. A temperatura mais amena foi um dos motivos apontados, já que o carnaval teve clima nublado e chuva na maior parte do tempo.

Essa movimentação gerou um número 14% maior de lixo na cidade, segundo a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). Foram 1.227 toneladas de resíduos, se contabilizados os blocos de rua, o Sambódromo, os bailes de carnaval e outras festividades.

Equipes do programa Lixo Zero aplicaram 231 multas para quem descartou lixo de forma irregular e 999 para os famosos “mijões”, que tiveram que desembolsar R$ 563,30.

A Guarda Municipal atuou com quase 5,5 mil agentes nos blocos de rua e quase 3,5 mil no Sambódromo e efetuou 26 prisões em 18 ocorrências de crime. A maioria dos registros ocorreu durante os blocos de rua. A Secretaria de Ordem Pública (Seop), rebocou 2.528 veículos durante o Carnaval, uma média de 14 por hora. Neste ano, a secretaria aumentou o número de reboques de 18 para 50, e os proprietários dos veículos removidos devem procurar os depósitos municipais no Recreio dos Bandeirantes ou São Cristóvão para retirá-los, das 8h às 17h.

Também no balanço da prefeitura consta que a Secretaria de Fazenda apreendeu 10 mil itens irregulares com ambulantes até ontem (10). O rol de apreensões inclui bebidas diversas, vidro, isopores, cigarros, mesas, caixa de som, botijão de gás, churrasqueiras, triciclos e carrinhos, que foram lacrados pela Coordenadoria de Controle Urbano e levados para o depósito da Prefeitura, onde podem ser recuperados com a apresentação de nota fiscal.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!