Justiça dos EUA investiga Deutsche Bank por vínculos com empresas de Trump – Exame

De acordo com a fonte, que solicitou anonimato, o financiamento do banco foi utilizado em projetos como os hotéis Trump

Por AFP

access_time 12 mar 2019, 18h47

O Deutsche Bank encara um novo processo judicial nos Estados Unidos, onde a procuradoria do estado de Nova York solicitou ao banco alemão documentos sobre o financiamento de projetos vinculados a empresas do presidente Donald Trump, informou à AFP fontes ligadas ao caso.

A procuradora-geral do estado, Letitia James, está investigando os pedidos de empréstimos concedidos pelo banco à Organização Trump, o grupo empresarial responsável por gerir os bens do magnata do setor imobiliário que agora é comandado por seus filhos Eric e Donald Trump Jr desde que o empresário assumiu a Presidência dos Estados Unidos.

De acordo com a fonte, que solicitou anonimato, o financiamento do banco foi utilizado em projetos como os hotéis Trump nas cidades de Washington, Miami e Chicago.

A procuradora também quer obter documentos relacionados à tentativa frustrada da Organização Trump de comprar a equipe de futebol americano Buffalo Bills, que integra a liga nacional (NFL), de acordo com o jornal The New York Times, o primeiro a informar sobre a atuação da procuradoria-geral de Nova York.

Letitia James decidiu pedir esses dados ao Deutsche Bank por conta do depoimento no Congresso de Michael Cohen, ex-advogado de Trump, segundo o The New York Times.

Durante a audiência perante os legisladores, Cohen afirmou que o presidente havia superfaturado indevidamente sua fortuna para obter empréstimos do banco alemão.

A instituição financeira europeia é um dos poucos grandes bancos ocidentais que continuou a emprestar dinheiro ao grupo de Trump após a falência de vários de seus cassinos nos anos 1990, gerando dívidas estimadas atualmente em 330 milhões de dólares.

Essa decisão transformou o banco em alvo de várias investigações nos Estados Unidos.

Em janeiro, os congressistas democratas, que conseguiram a maioria na Câmara de Representantes, pediram informações à instituição sobre as taxas de juros concedidas à Organização Trump.

Também querem obter detalhes sobre os protagonistas do caso da lavagem de dinheiro russo, pelo qual o Deutsche Bank foi condenado a pagar 630 milhões de dólares em janeiro de 2017 nos Estados Unidos.

Contactado pela AFP, o banco alemão, que deve acatar as petições da justiça sob pena de ser castigado, se mostrou disposto a colaborar.

Já a procuradoria ainda não respondeu as perguntas enviadas pela AFP sobre o assunto.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!