Gráfico do Dia: Saiba Por Que as Ações da Boeing Estão Prestes a Decolar – Investing.com

As ações da Boeing (NYSE:), maior companhia aeroespacial do mundo, afundaram desde o acidente com o Boeing 737 Max da Ethiopian Airlines, no dia 10 de março, segundo acidente fatal do modelo 737 Max 8 em apenas cinco meses. Entretanto, Ivan Feinseth, diretor de pesquisa da Tigress Financial Partners, disse ao programa “Closing Bell”, da CNBC , e ao “The Close” da Bloomberg, que ele considera que a queda dos papéis da Boeing é uma oportunidade de compra, pois a empresa possui 20 anos de pedidos firmes de aeronaves, “e você nunca vê cancelamentos em massa” depois de um acidente.

Por outro lado, o 737 Max 8 é o avião mais vendido da companhia e um grande gerador de caixa, respondendo por dois terços da sua carteira comercial. São fabricadas 52 aeronaves por mês e a produção aumentaria para 57 por mês no final deste ano, podendo chegar a 62 por mês. Foram feitos 5.100 pedidos dos aviões 737 Max 8. Por ser um produto crucial, a companhia quer resolver essa questão imediatamente, pois coloca uma sombra sobre o futuro crescimento das suas vendas. Até agora, a causa do acidente não foi oficialmente determinada.

Feinseth não considera que o problema seja sistêmico, e o padrão de segurança das companhias aéreas aumenta depois de um acidente, pois a empresa realiza uma verificação completa do seu controle de qualidade.

De fato, o principal gerador de caixa da Boeing está no centro das atenções, mas isso seria suficiente para fazer o maior componente do virar pó?

Não acreditamos nisso. Concordamos com Feinseth que se trata de uma oportunidade de compra, desde que não haja um declínio geral do mercado (nossa avaliação tem sido baixista), saiba por quê.

A queda rompeu as máximas de novembro, mas fechou acima delas nos últimos dois pregões, demonstrando que existe demanda nesses níveis. Apesar de o preço ter fechado abaixo da média móvel de 50 dias (MMD 50), ele permaneceu acima das MMDs 100 e 200, o que reforça o suporte nas máximas de novembro. Além disso, temos um cenário ainda mais altista se afastarmos nossa perspectiva.

BA Weekly Chart

BA Weekly Chart

Quando adotamos uma visão mais ampla, descobrimos que o preço encontrou suporte em uma demanda muito mais interessada do que podemos ver apenas no gráfico diário. Com exceção de outubro, o preço não conseguia superar o nível de US$ 370 desde o último mês de fevereiro.

Entretanto, a vitória da Boeing sobre a Airbus, sua concorrente no duopólio, em número de pedidos no ano de 2018 reverteu o equilíbrio entre oferta e demanda naquele nível de preço. Em janeiro, a Boeing (NYSE:) acelerou seu voo à frente da Airbus com sólidos pedidos. A companhia também anunciou que aumentará a produção, demonstrando que o céu é o limite, à medida que o preço abria um buraco na camada de ozônio, registrando uma nova máxima histórica a US$ 446,01.

Depois que os vendidos viram que estavam errados no nível de US$ 370, é menos provável que eles repitam o mesmo erro. Como os comprados viram que estavam certos, é mais provável que repitam o movimento. Além de tudo isso, quem viu a oportunidade passar não vai querer sentir essa dor novamente, o que deve adicionar demanda nessa equação.

Observe que, apesar de o preço estar abaixo da média móvel de 50 dias, está bem acima da média móvel de 50 semanas, que oferece suporte ao nível de US$ 370. Abaixo, a MMD 100 apoia as mínimas de dezembro, com a MMD 200 bem abaixo, colocando as principais médias móveis em uma formação altista.

O índice de força relativa (RSI) fornece sinais conflitantes. Ele falhou em avançar com o preço, sugerindo uma desaceleração do momentum. Por outro lado, apesar do crash, encontrou suporte na antiga resistência representada pela linha de tendência de baixa, que agora é um possível suporte.

Estratégias operacionais – Setup de posição de compra

Traders conservadores devem esperar que um novo topo forme um segundo topo e fundo na tendência de alta intermediária desde o fundo de dezembro de 2018.

Traders moderados podem ficar satisfeitos com um repique do preço acima dos US$ 400, que é tanto o preço mais alto na consolidação de um ano, registrado em 3 de outubro, a US$ 388,62, bem como um número psicológico arredondado.

Traders agressivos podem arriscar uma posição de compra agora.

Exemplo de operação

  • Entrada: US$ 375
  • Stop-Loss: US$ 370, abaixo do topo da consolidação.
  • Risco: US$ 5
  • Alvo: US$ 400, resistência psicológica de número arredondado.
  • Retorno: US$ 25
  • Relação risco-retorno: 1:5

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!