Como Ficam os Mercados com Mundo Crescendo Menos? – Investing.com

Produção industrial e vendas ao varejo no Brasil e na China, inflação ao atacado e pedidos de bens duráveis nos EUA.

O que todos estes indicadores tem em comum é uma atividade econômica em desaquecimento, mesmo com um contexto estimulativo global.

Na China, o impulso do governo vem através do crédito e da intervenção no mercado de capitais, os quais tem tão somente reduzido os efeitos da guerra comercial.

Para se entender a situação chinesa, as vendas ao varejo apresentaram ontem o pior resultado desde junho de 2003 e a produção industrial, desde maio de 2009, no ápice da crise das hipotecas.

Nos EUA, a ‘pausa’ do Fed também é estratégica de modo a entender tanto os efeitos da inflação e no mercado de trabalho, ambos nas pontas vencedoras, quanto para entender os efeitos da guerra comercial, esta praticamente fazendo o papel de aperto monetário no curto prazo.

Localmente, os analistas e investidores começam a questionar a política monetária e o que se considera como juro neutro, ainda que a redução na ponta do consumidor seja um dos maiores desafios do BC, em meio à taxa nominal historicamente baixa.

O problema é que, para gerar o impacto necessário ao ponto de se converter em estímulo real na ponta do crédito, um corte de 100 pontos-base como preconizado por alguns analistas muito provavelmente não deva surtir o efeito necessário e ainda expõe o país à vulnerabilidade em eventos caudais, como um atraso ou não aprovação da reforma da previdência.

Reforça-se então a premissa de que a política tem sido claramente a fonte primordial da volatilidade e das tensões entre os investidores, afetando os índices de confiança em diversos mercados e adiando assim decisões importantes de consumo e de investimento.

CENÁRIO POLÍTICO

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados formada como primeira ‘barreira’ da reforma da previdência está praticamente com as ‘fronteiras abertas’ para a matéria, com analistas a políticos prevendo um trâmite relativamente suave ao governo.

Com o PSL comandando a presidência e a vice-presidência, apesar da falta de experiência de ambos e da juventude de Francischini (27 anos), o tema pode se concentrar na questão dos militares.

Estes demandam uma reestruturação de carreira, mas com o texto incluindo aumento salarial, que vai contra as propostas da equipe econômica, principalmente no cenário fiscal.

Este talvez seja o ponto mais complicado ao governo neste momento, pois o tal ‘sacrifício’ dos militares não pareceria assim tão sacrificante.

ABERTURA DE MERCADOS

A abertura na Europa é sem positiva e os futuros NY abrem em alta, ainda que o Brexit pese nos mercados.

Na Ásia, o fechamento foi negativo, com dados da atividade chinesa abaixo das expectativas.

O opera em alta contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam positivos a partir dos 5 anos de vencimento.

Entre as commodities metálicas, quedas, com a China pesando.

O abre em queda, mesmo com os cortes contínuos da OPEP.

O índice de volatilidade abre em alta de 1,28%

CÂMBIO

: R$ 3.8163 / 0.14 %

: US$ 1.13 / -0.150%

: ¥ 111.61 / 0.396%

: US$ 1.32 / -0.697%

Dólar Fut. (1 m) : 3816.33 / 0.02 %

JUROS FUTUROS (DI)

DI – Janeiro 20: 6.36 % aa (-0,12%)

DI – Janeiro 21: 6.91 % aa (-1.57%)

DI – Janeiro 23: 7.98 % aa (-1.36%)

DI – Janeiro 25: 8.50 % aa (-1.28%)

BOLSAS DE VALORES

FECHAMENTO

: 1.10% / 98,904 pontos

: 0.58% / 25,703 pontos

: 0.69% / 7,643 pontos

: -0.02% / 21,287 pontos

: 0.15% / 28,851 pontos

: 0.30% / 6,180 pontos

ABERTURA

: -0.116% / 11559.04 pontos

: 0.440% / 5329.72 pontos

FTSE: 0.379% / 7186.34 pontos

: -0,19% / 99407.00 pontos

: 0.000% / 2814.50 pontos

: 0.010% / 7268.50 pontos

COMMODITIES

Índice Bloomberg: -0.40% / 81.20 ptos

: -0.21% / $58.14

:-0.10% / $67.48

: -0.84% / $1,298.18

: -0.35% / $85.01

: 0.39% / $16.09

: 0.21% / $357.25

: 1.78% / $94.45

: -0.08% / $12.35

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!