A vida de um viciado em Bitcoin e como funciona o centro de reabilitação de traders – Portal do Bitcoin

O centro médico para reabilitação de adictos do Hospital Castle Craig, localizado na Escócia, Reino Unido, está oferecendo tratamento para indivíduos que ficaram dependentes do comércio de bitcoin e criptomoedas. A instituição já oferece tratamento para pessoas viciadas em drogas e álcool.

Com o surgimento do bitcoin e em seguida a criação de milhares de criptoativos, tanto investidores quanto pessoas comuns começaram a sonhar com enriquecimento rápido, principalmente depois do boom do bitcoin no final de 2017.

Isto fez com milhares de pessoas passassem por algum tipo de dependência, principalmente aquelas que apostam praticamente tudo.

Muitos casos podem ser estar relacionados a traders iniciantes como também aos desavisados sobre a perigosa volatilidade do criptomercado.

Uma negociação bem-sucedida pode se tornar uma obsessão perigosa e, mais cedo ou mais tarde, se não houver prudência, pode arruinar todo um plano de vida.

Viciado em bitcoin, álcool e drogas

A reportagem do Motherboard visitou a clínica e contou a história de um paciente, que não teve identidade revelada. O documentário, intitulado ‘Addicted to Bitcoin: The Cryptocurrency Rehab Center’, foi o publicado no Youtube no dia 25 de fevereiro.

O vídeo detalha o sofrimento de um negociante de criptomoedas que antes apostava apenas no meio esportivo.

“Minha primeira aposta foi quando eu tinha apenas 13 anos”, disse.

Ele conheceu o bitcoin através da deep web em 2015 e também acabou se envolvendo com drogas, álcool e jogos de azar.

Na grande alta da criptomoeda em 2017, o investidor chegou a ter o equivalente a US$ 2 milhões em sua carteira de criptomoedas. No entanto, o sucesso não durou muito. Depois de uma série de perdas, ele se internou no Castle Craig temendo um desfecho pior.

“Eu vim aqui atrás de esperança, pois o bitcoin definitivamente havia me derrubado”, relatou o paciente, acrescentando: “Hoje, eu levanto pela manhã e tomo o café com os outros pacientes. Aqui a gente desintoxica”.

O vício pode destruir uma vida

Anthony Marini, terapeuta do Castle Craig, disse:

“Se você está predisposto ao vício, ele vai te agarrar e não vai te deixar sair. E isso destruirá sua vida”.

Segundo os especialistas envolvidos no programa do Castle Craig, os viciados em criptomoedas mostram o mesmo tipo de comportamento de jogadores impulsivos, como os jogos de azar. por exemplo.

Recentemente, um estudo mostrou um intenso vínculo entre os viciados em jogos e os que negociam criptomoedas.

Pesquisadores da Universidade Rutgers, de Nova Jersey (EUA) disseram que para jogadores regulares, a negociação de criptomoedas é vista como uma nova atividade de risco, semelhante a de outros tipos de atividades que viciam.

Entre elas estão as apostas esportivas ou até mesmo o mercado de ações tradicional. O estudo foi publicado pela revista acadêmica ‘Addictive Behaviors’, segundo o Medical Xpress.

Nele, foi revelado que mais de 50% dos jogadores regulares (ou seja, aqueles que jogam pelo menos uma vez por mês) negociaram criptomoedas no ano passado.

“Para algumas pessoas, o comércio de criptomoeda é visto como uma oportunidade de investimento. Mas há uma proporção alarmante de pessoas que estão apostando nesses mercados como se apostassem em cavalos, esportes ou caça-níqueis. Isso tem o potencial de causar problemas significativos”, disse a Devin Mills, principal autor do estudo.

Clique aqui e acompanhe a cotação de mais de mil criptomoedas


Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

O post A vida de um viciado em Bitcoin e como funciona o centro de reabilitação de traders apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!