Inflação oficial acelera puxada por alimentação e transporte

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerado a inflação oficial no Brasil, subiu 0,54% em março, uma aceleração em relação a fevereiro, quando a taxa ficou em 0,34%. Segundo o IBGE, é a maior variação para o mês de março desde 2015, quando a taxa registrou aumento de 1,24%. No ano passado, a taxa no mês foi de 0,10%.

No trimestre, chamado de IPCA-E, o índice acumula alta de 1,18%, acima dos 0,87% registrados de janeiro a março do ano passado. No acumulado de 12 meses, a inflação ficou em 4,18%, acima dos 3,73% do período anterior.

Apresentaram deflação os grupos artigos de residência (-0,23%) e comunicação (-0,19%). As maiores altas foram em alimentação e bebidas (1,28%) e transportes (0,59%). Somados, os dois grupos corresponderam a cerca de 80% do índice do mês

Entre os produtos que impactaram a inflação, destaque para o feijão-carioca, que teve alta de 34,56% em fevereiro e subiu 41,44% em março. A batata-inglesa também registrou aceleração no preço, com 12,39% em fevereiro e 25,59% em março. Já o tomate, que teve queda de 20,32% em fevereiro, subiu 16,73% este mês.

No grupo dos transportes, o impacto veio da passagem aérea, que subiu 7,54%, e do etanol, com alta de 2,64%. A gasolina subiu 0,28%, depois de três quedas seguidas. O reajuste das tarifas dos ônibus urbanos foi de 0,73%. Os ônibus intermunicipais registraram queda de 0,27%, influenciada pela redução média de 3% no valor das passagens no Rio de Janeiro. Em São Paulo, o reajuste médio foi de 6%, e em Curitiba de 5,88%.

No grupo habitação, que apresentou alta de 0,28% em março, o item energia elétrica subiu 0,43% e o gás encanado 1,75%. A queda de 0,19% em comunicação foi causada pela redução de 1,86% no preço dos aparelhos telefônicos e de 0,50% na tarifa do telefone fixo.

Regionalmente, apenas Belo Horizonte não registrou aceleração no índice de inflação. A maior alta foi na região metropolitana de Fortaleza (0,92%) e o menor resultado foi registrado em Salvador (0,29%).

O IPCA-15 foi calculado com preços coletados de 13 de fevereiro a 15 de março de 2019 e comparados com os valores de 16 de janeiro a 12 de fevereiro de 2019, nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba e nas cidades de Brasília e Goiânia.

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!