Com alta de 78,83%, batata-inglesa pressiona inflação de Páscoa

A batata-inglesa é a vilã da cesta de produtos que compõem o índice de inflação da Páscoa. A variação positiva foi de 78,83% nos últimos 12 meses compreendidos entre abril de 2018 e março de 2019. A pesquisa foi divulgada hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV).

A inflação de Páscoa atingiu 17,15%, depois de experimentar variações de 2,61%, em 2018; e deflação de 0,36%, em 2017. A taxa superou com folga o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), da FGV, que ficou em 4,37%. A alta registrada para os produtos mais consumidos na Páscoa voltou ao patamar observado em 2016, da ordem de 15,17%.

Segundo o pesquisador Igor Lino, do instituto, responsável pelo levantamento, a batata-inglesa tem peso de 17,5% na cesta de produtos para a Páscoa. Retirando a batata da cesta, a inflação dos itens de mesa para a Páscoa cai de 17,15% para 4,11%. “Ela (a batata-inglesa) é a grande vilã da inflação”

A elevação de preço da batata-inglesa nos últimos 12 meses pode ser atribuído à questão climática, com registro de muita chuva no início do ano e calor intenso. O mesmo pode ser explicado em relação à couve, que subiu no período 21,17%.

O terceiro produto que contribuiu para a alta da inflação foi o bacalhau (+19,35%), em função do aumento do dólar, cuja variação atingiu 20% no ano. O quarto aumento significativo foi detectado no atum (10,36%).

Reajustes baixos

Lino disse que somente os pescados frescos tiveram aumento moderado de 4,67%. Alertou, porém, que com a proximidade da Semana Santa, “a demanda vai ser maior pelos pescados frescos e, com certeza, pode ter um aumento de preços aí”.

Apesar da alta de 17,15% para os itens que compõem a mesa para a Páscoa, alguns produtos tiveram reajuste abaixo da inflação média apurada pelo IPC-10. Entre eles, podem ser citados bombons e chocolates (3,64%), sardinha em conserva (2,83%), azeitona em conserva (2,73%), ovos de galinha (2,08%), e azeite (1,13%).

Edição: Maria Claudia

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!