Balança comercial do Brasil tem superávit de US$4,990 bi em março – Exame

Resultado é o pior para o mês em três anos

Por Reuters

access_time 1 abr 2019, 15h40 – Publicado em 1 abr 2019, 15h16

Brasília — O Brasil registrou superávit comercial de 4,990 bilhões de dólares em março, divulgou o Ministério da Economia nesta segunda-feira, no pior resultado para o mês desde 2016.

As exportações somaram 18,120 bilhões de dólares no período, enquanto as importações alcançaram 13,130 bilhões de dólares.

O número ficou abaixo do divulgado para o mês em 2018 e 2017, superando apenas os 4,431 bilhões de dólares registrados em março de 2016.

No mês passado, as importações subiram 5,1 por cento ante março de 2018, pela média diária, enquanto as exportações caíram 1 por cento na mesma base de comparação.

No primeiro trimestre de 2019, o saldo das trocas comerciais soma 10,889 bilhões de dólares, recuo de 11,1 por cento sobre igual intervalo do ano passado.

O ministério ainda não divulgou sua previsão de saldo comercial para 2019.

A balança comercial brasileira deve ficar positiva em 50,25 bilhões de dólares neste ano, segundo a pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira. O número ficaria, portanto, abaixo dos 58,659 bilhões de dólares registrados em 2018.

Destaques

Em março, as importações foram puxadas pelos bens de capital, com alta de 13 por cento sobre um ano antes. Em seguida vieram os bens intermediários, com crescimento de 5,8 por cento; e bens de consumo, com subida de 1,6 por cento.

Ao mesmo tempo, houve queda de 0,5 por cento nas compras de combustíveis e lubrificantes.

Já no caso das exportações, houve avanço nas vendas de produtos básicos de 7,9 por cento, a 9,689 bilhões de dólares.

As vendas externas de produtos manufaturados registraram queda de 6,5 por cento, para 6,148 bilhões de dólares. As exportações de produtos semimanufaturados recuaram 0,5 por cento, para 2,282 bilhões de dólares.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!