Governo paulista anuncia medidas para conter déficit orçamentário – Isto É

O governo de São Paulo informou, nesta segunda-feira (1º), que está buscando medidas para reduzir o déficit orçamentário do estado, atualmente estimado em R$ 10,5 bilhões. Para reduzir esse déficit, o governo planeja securitizar os royalties do petróleo, fazer operações do Fundo Imobiliário, conceder rodovias estaduais e até vender ações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

O secretário de Fazenda, Henrique Meirelles – Arquivo/Agência Brasil

“Até dezembro, estaremos trabalhando fortemente e conseguindo estruturar a questão da securitização dos royalties. Isso pode gerar R$ 4 bilhões ou um pouco acima”, estimou o secretário de Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles.

Em janeiro, o governo anunciou um contingenciamento (que consiste no retardamento ou, ainda, na inexecução de parte da programação devido à insuficiência de receitas) de R$ 5,7 bilhões, dos quais R$ 3 bilhões em investimento e R$ 2,7 bilhões em custeio. Os gastos com saúde, educação e segurança pública, considerados prioritários, serão preservados. Já o restante, R$ 4,76 bilhões, foram realocados para dezembro deste ano.

Segundo Meirelles, o governo paulista trabalha para viabilizar receitas equivalentes a R$ 4,76 bilhões para serem recebidas ou geradas até o fim do ano e cumprir o que está no Orçamento deste ano.

“Estamos fazendo a nossa lição de casa em duas áreas. A primeira é enxugando o máximo possível as despesas do Estado. Encaminhamos para a Assembleia Legislativa um projeto de extinção de estatais. Do nosso lado, já estamos fazendo corte de cargos em comissão. Do outro lado, temos um grande esforço de transferir à iniciativa privada, via PPPs [parcerias público-privadas] e concessões, os grandes investimentos do estado”, disse o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia.

O Orçamento total aprovado para este ano previa um valor total de R$ 231,2 bilhões. Desse montante, 92% já estão comprometidos com pessoal e encargos dos funcionários ativos e inativos, transferências constitucionais para os municípios, serviço da dívida, vinculações constitucionais e sentenças judiciais, entre outros. Os 8% restantes são destinados a investimento e custeio.

Projeto Guri

O governador João Doria disse hoje que não vai interromper o Projeto Guri e que vai manter os R$ 94,7 milhões previstos para a iniciativa. Considerado o maior programa sociocultural brasileiro, o Projeto Guri oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação e de formação musical para crianças e adolescentes de 6 a 18 anos. O Guri atende atualmente cerca de 64 mil alunos em 382 polos.

“Não haverá nenhuma interrupção no Projeto Guri”, afirmou Doria, ressaltando que tem intenção de ampliá-lo no próximo ano. “Ninguém será demitido. Nenhum aluno perderá seu direito [ao projeto]. Nenhum polo será fechado.”

De acordo com o secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, por dificuldades financeiras do estado, o governo fez diversos estudos sobre seus projetos culturais e sociais com organizações sociais. O secretário negou, porém, que o governo tenha anunciando fechamento ou contenção no Projeto Guri, conforme foi veiculado pela imprensa na semana passada.

Procurada, a Associação Amigos do Guri, responsável pela gestão do projeto no litoral e no interior do estado e na Fundação Casa, disse que “aguarda reunião com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo para se posicionar”.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!