Etanol: Usinas Paulistas Seguiram Desovando Produto da Safra 2018/19 em Março – Investing.com

MARÇO – Usinas paulistas seguiram desovando o produto da safra 2018/19 ao longo de março e também, em alguns casos durante as últimas semanas do mês, ofertando o etanol da temporada 2019/20. As distribuidoras seguiram com baixo interesse de compra, adquirindo apenas volumes pontuais, devido à expectativa de preços menores com início oficial da nova temporada. A grande maioria das usinas paulistas deve começar as atividades da safra 2019/20 na primeira quinzena de abril.

A média das quatro semanas cheias de março do Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado foi de R$ 1,7811/litro, valor 2,7% maior que as quatro semanas de fevereiro. No caso do Indicador CEPEA/ESALQ do etanol anidro, houve alta de 3,9%, com média de R$ 1,8760/litro, considerando-se somente o mercado spot.

FECHAMENTO DA SAFRA 2018/19 – Na safra 2018/19 (abril de 2018 a março de 2019), as médias dos Indicadores CEPEA/ESALQ dos etanóis anidro e hidratado ficaram quase 4% inferiores às observadas na temporada anterior, em termos reais (valores deflacionados pelo IGP-M de março/19). Já o volume de etanol hidratado negociado no acumulado da safra 2018/19 ficou 54,8% maior em igual comparativo.

Segundo dados da Unica, no acumulado da safra até meados de março, a moagem somou 566,05 milhões de toneladas de cana no Centro-Sul. Foram produzidos cerca de 30,57 bilhões de litros de etanol (hidratado e anidro). Em São Paulo, especificamente, foram 15,97 bilhões de litros produzidos, praticamente 2,83 bilhões de litros a mais que na temporada anterior.

Nas bombas do estado de São Paulo, na temporada 2018/19, o biocombustível ficou desfavorável frente à gasolina C em apenas duas semanas. A relação média entre o etanol hidratado e a gasolina C ficou em 63,5% de 1º de abril ao dia 30 de março, contra 69,5% no mesmo período da safra 2017/18 em São Paulo.

As exportações de etanol anidro e hidratado somaram 1,78 bilhão de litros no acumulado da safra 18/19, alta de 27,86% em relação à temporada anterior, segundo a Secex. Em março, especificamente, foram enviados ao exterior 129,3 milhões de litros de etanol, gerando receita de US$ 66,5 milhões (R$ 255,79 milhões). O volume foi 1,6% inferior ao exportado em fevereiro, mas 96,2% superior ao embarcado em março/18.

As importações de etanol, por sua vez, somaram 1,52 bilhão de litros de abril/18 a março/19, volume 37,6% inferior ao da safra passada (2,43 bilhões de litros). Do total importado, cerca de 79,6% (ou 1,2 bilhão de litros) foram destinados às regiões Norte e Nordeste e apenas 20,4% aos estados do Centro-Sul do País, segundo dados da Secex.

NORDESTE – Os preços dos etanóis seguiram em alta em março nos principais estados produtores nordestinos acompanhados pelo Cepea. A menor oferta, devido à finalização da moagem e à falta de estoques em boa parte das usinas de Paraíba, Pernambuco e Alagoas, sustentou os preços por mais um mês.

Até meados de fevereiro, foram produzidos 418,352 milhões de litros de etanol total (anidro e hidratado) em Pernambuco, 429,51 milhões de litros em Alagoas e 367,054 milhões de litros na Paraíba, de acordo com a base de dados divulgada pelo Mapa.

Quanto aos preços praticados, a média do Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado no estado de Pernambuco fechou a R$ 1,9646/l (sem frete, sem ICMS e sem PIS/Cofins), alta de 9,91% frente a fevereiro. Para o etanol anidro, não houve dados suficientes para compor a média mensal.

Em Alagoas, a média do Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado subiu 11,83% frente ao mês anterior, fechando a R$ 1,9530/l (sem frete, sem ICMS e sem PIS/Cofins) em março. A média do Indicador CEPEA/ESALQ do anidro fechou a R$ 2,0261/l (sem frete e sem PIS/Cofins), valorização de 1,2% no mesmo período de comparação.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!