Celular blockchain fracassa, criptomoeda desvaloriza e empresa demite parte da equipe – Portal do Bitcoin

A Sirin Labs demitiu 15 dos 60 colaboradores da equipe que criou o Finney, seu smartphone baseado na tecnologia blockchain lançado no final do ano passado.

De acordo com o Israeli Business Daily Globes, as vendas do Finney não corresponderam às expectativas da empresa e que o aparelho não obteve uma procura desejada.

“O mercado global não está no melhor estado”, disse a Sirin Labs.

O aparelho havia sido anunciado pela primeira vez em julho de 2018 com a promessa de ser vendido por, no máximo, US$ 1 mil, pouco menos de R$ 4 mil.

O Finney foi anunciado como dispositivo móvel ultrasseguro de última geração com uma carteira embutida para armazenamento a frio.

A empresa enaltecia o fato de o Finney ser o primeiro aparelho ‘movido a blockchain’ do mundo. Inclusive o jogador de  futebol Leonel Messi foi contratado como garoto-propaganda do produto.

No entanto, nem o craque do futebol mundial e nem as diversas lojas físicas exclusivas para a venda do Finney ajudaram a empresa a alcançar as metas planejadas.

Salários atrasados

A reportagem cita que houve rumores de atraso nos salários da equipe da Sirin Labs. A empresa negou, afirmando que todos funcionários haviam sido pagos.

A Sirin Labs é administrada por Moshe Hogeg, responsável também pelo fundo de investimento Singulariteam, uma instituição de capital de risco fundada junto com o bilionário do Cazaquistão, Kenges Rakishev.

Desde que foi fundada, a Sirin Labs recebeu investimento total de US$ 255 milhões (US$ 157 milhões somente com uma Oferta Inicial de Moedas em 2017).

Foi a partir da ICO que a empresa levantou capital para fabricar o Finney vendendo o aparelho antecipadamente.

Uma criptomoeda própria, então, foi criada, a Sirin Labs Token (SRN), que perdeu quase todo seu valor em um ano, passando de cerca de US$ 3,50 (R$ 14,00) para US$ 0,03, hoje cerca de R$ 0,13.

Porém, houve uma falha em relação ao preço do produto. O valor do Finney não estava atrelado ao token. Portanto, aqueles que compraram na venda simbólica ficaram à mercê do preço atual.

Assim, para comprar o celular da Sirin Labs era preciso usar muitas vezes mais unidades da criptomoeda nativa para obter o novo aparelho.


3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

O post Celular blockchain fracassa, criptomoeda desvaloriza e empresa demite parte da equipe apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!