Dividendo: 3 Questões Fundamentais Antes De Montar Sua Carteira – Investing.com

Compartilho neste artigo 3 questões fundamentais que devem ser observadas, durante o processo de escolha destas ações.

Muitos traders buscam criar outras formas de rentabilizar o dinheiro não utilizado na atividade de trading. Uma das formas mais populares é justamente a criação de uma carteira de ações que têm histórico de pagamento de dividendos.

Primeiramente, deve-se entender um conceito básico: o “YIELD rate” que uma determinada ação está pagando, na forma de dividendos.

O YIELD é calculado dividindo-se a expectativa de dividendos anualizada pelo preço atual da ação. Ver quadro abaixo.

Um detalhe importante: normalmente as empresas divulgam dividendos trimestrais ou semestrais. A depender da periodicidade de pagamento, deve-se sempre anualizar a expectativa dos dividendos, antes do cálculo do YIELD.

Por exemplo, se a empresa paga dividendos trimestrais, devemos multiplicar o valor de dividendos por 4, dado que o ano possui 4 trimestres. No exemplo acima, fizemos exatamente isso. Só depois dividimos o resultado pelo preço atual da ação, afim de encontrarmos o YIELD desta ação. [o mais correto seria somar os dividendos dos últimos 12 meses e fazer esta conta, mas a forma acima também é muito adotada].

Entender o conceito do YIELD é fundamental!

O que queremos dizer com a afirmação acima? Uma ação que possua um YIELD muito elevado pode estar com um preço baixo. E, se isto acontece, devemos investigar o porquê o mercado está penalizando a precificação dessa ação. Em outras palavras: devemos entender o porquê do preço estar “tão baixo”…

Mas o que devemos observar, durante a escolha das ações que iremos colocar na nossa carteira de dividendos?

1. Primeiramente deve-se observar como a empresa vem crescendo, nos últimos anos. Crescer com sacrifício de margens pode ser um problema. Então, essencialmente deve-se buscar empresas que tenham um histórico de crescimento associado a uma margem também crescente. Isso provavelmente indicará que a empresa atua num segmento com barreiras de entrada a novos competidores ou até mesmo que a companhia possui uma estratégia de diferenciação importante, permitindo-a que ganhe mercado, sem a necessidade de sacrificar suas margens. Veja o exemplo abaixo da ação da Grendene (SA:))…

Margens Grendene

2. Como está a trajetória de endividamento da empresa? Por que o endividamento é importante?

Essas duas questões você precisa saber responder porque podem indicar se a empresa, no futuro, terá condições de pagar dividendos.

Uma empresa muito endividada, precisará sempre reconhecer no seu demonstrativo de resultados os juros associados à sua dívida. Quando a dívida é muito grande ou vem crescendo significativamente ao longo dos anos, o reconhecimento dos juros no resultado, irá reduzir a capacidade da empresa de gerar lucros.
3. E por falar em lucros, privilegie na sua carteira empresas que tenham um histórico de lucratividade. Afinal de contas, uma empresa não distribui dividendos aos seus acionistas, se não possuir lucros para fazê-lo. Veja o gráfico a seguir. Observe que quando a Grendene perdeu lucratividade, os proventos de dividendos também foram reduzidos.

Lucro líquido

Portanto, antes de escolher uma empresa para compor a sua carteira de dividendos, observe essas 3 questões fundamentais:

Questões fundamentais

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!