STF autoriza Anisio da Beija Flor a viajar antes de julgamento – Isto É

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello concedeu autorização para que o contraventor Aniz Abrahão David, o Anísio da Beija-Flor, viaje para Portugal entre os dias 24 de abril e 18 de maio para tratamento de saúde. A defesa de Anísio alegou no pedido de habeas corpus como motivo da viagem “a necessidade de seu cliente fazer exames e tratamento médico na Europa”.

O desembargador federal Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal – 2ª Região (TRF2), ao tomar conhecimento hoje (26) da decisão, expediu ofício à Polícia Federal, comunicando que Aniz Abraão David está autorizado a viajar para Portugal. “A autorização do STF foi concedida ao presidente de honra da Escola de Samba Beija-Flor, que é réu no processo penal da Operação Furacão”.

Anísio e outros contraventores acusados na chamada “máfia dos caça-níqueis” foram condenados pela primeira instância da Justiça Federal do Rio de Janeiro. A Primeira Turma Especializada do TRF2 julgará nos dias 15 e 16 de maio a apelação dos réus. Abel Gomes é o relator. Além de Anisio, também é réu no processo, Ailton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães.

Pedido negado

Anteriormente, o juiz federal Gustavo Arruda Macedo, que atua em auxílio ao desembargador Abel Gomes, negou o pedido de Aniz Abrahão David para se submeter a tratamento médico em Portugal. O magistrado entendeu que não haveria uma situação excepcional de saúde para justificar a autorização de saída do território nacional. Com a negativa, a defesa do contraventor recorreu ao STF, onde conseguiu decisão favorável do ministro Marco Aurélio Mello. 

No despacho, o desembargador federal Abel Gomes, além de oficiar à Delegacia de Imigração (Delemig), da Polícia Federal, enviou comunicação à 6ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, para que entregue ao réu seu passaporte (que está acautelado), devendo recolhê-lo de novo em até cinco dias, contados da data de regresso de Anísio ao Brasil.

Em 2013, a juíza Ana Paula Vieira de Carvalho, da 6ª Vara Federal Criminal do Rio condenou Aniz Abrahão David a 47 anos de prisão. A defesa do contraventor recorreu da decisão e o processo está sendo analisado em segunda instância.

Adiamento

Devido ao temporal que atingiu o Rio no dia 8 deste mês e provocou a morte de 10 pessoas, o presidente do Tribunal Regional Federal, da 2ª Região, desembargador Reis Friede determinou a suspensão do expediente na sede da Corte e na seção judiciária do Estado do Rio de Janeiro. Com isso, o julgamento dos contraventores Aniz Abraão David e Aílton Guimarães Jorge, réus na Operação Furação, foi adiado.

 

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!