Autoridade da Índia chama criptomoedas de Ponzi e debate sobre proibição ressurge – Portal do Bitcoin

Vários órgãos do governo da Índia estão apoiando a ideia de proibir a emissão e comércio de criptomoedas no país, publicou o The Economic Times na sexta-feira (26).

Segundo o site, o diretor executivo do Fundo de Educação e Proteção ao Investidor (IEPFA), Anurag Agarwal, chegou a dizer que as criptomoedas são um esquema Ponzi, conhecido também como pirâmide financeira.

O Órgão tem natureza semelhante a da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil, concentrando-se principalmente na proteção do interesse dos investidores, bem como dar início a processos de acusação.

“Quando se trata de proteção dos investidores, o IEPFA tem que tomar uma posição contra certas coisas e estamos tomando uma decisão contra esquemas de Ponzi. Nós achamos que as criptomoedas são um esquema ponzi e devem ser banidas”, disse.

Autoridade recebe apoio

A reportagem também diz que além da divisão de Agarwal, mais dois departamentos estão apoiando o banimento das criptomoedas.

São eles: Departamento de Assuntos Econômicos (DEA) e Diretoria Central de Impostos Indiretos e Aduaneiros (CBIC).

Agarwal disse que seu Departamento planeja lançar nos próximos dias uma plataforma online a fim de coletar dados de pessoas que já investiram em esquemas duvidosos.

Índia e criptomoedas

Embora o governo ainda não tenha decidido se as criptomoedas devem ou não ser proibidas, no ano passado, o Banco Central da Índia (RBI) criou ações para desestimular o uso de criptoativos e ascensão do criptomercado.

Desde aquela época, o governo da Índia tem preparado, ou um plano de regulação ou de banimento das criptomoedas. Em outubro de 2018, a Suprema Corte indiana pediu para o Banco Central (RBI) expor um posicionamento oficial sobre a situação legal das criptomoedas no país.

O requerimento foi fruto de uma série de petições feitas por exchanges. Elas questionaram a decisão do RBI de proibir abertura de contas bancárias por empresas relacionadas a criptomoedas — na ocasião uma circular tirou o acesso de exchanges a serviços bancários no país.

A documento dizia que os bancos teriam três meses para encerrar suas relações com as empresas do criptomercado.

Sobre a imposição, o conselheiro do RBI, Shyam Divan, explicou à Suprema Corte que a organização financeira apenas desaconselhava o uso de criptomoedas, sem proibi-las, e que sua regulação seria uma decisão política, sob responsabilidade do governo.

Ripple de olho na Índia

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo. Segundo um relatório do Época Negócios do ano passado, o país que atualmente tem cerca de 1,37 bilhão de habitantes, pode ultrapassar a China (1,39 bilhão) até 2030 e atingir 1,68 bilhão de habitantes em 2050.

Desta forma, tanto a Índia como a China são países-chave para o desenvolvimento da criptoeconomia, tanto que a Ripple, detentora do XRP, idealizou uma ação totalmente audaciosa, mas que ficou só em sonho.

Em meados do ano passado, o vice-presidente de produtos da Ripple, Asheesh Birla, disse que tinha a intenção de doar XRPs a todos os indianos e assim tomar 50% do mercado do Bitcoin.

“Temos observado há tempos a Índia. São ‘bilhões de pessoas’. E nos perguntamos como conseguir 2 bilhões de indivíduos na Ripple. Doando XRP a todos os indianos, esta é a resposta”, disse Birla na época.


3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

O post Autoridade da Índia chama criptomoedas de Ponzi e debate sobre proibição ressurge apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!