China comemora mais de US$64 bilhões em acordos – Exame

Presidente chinês procurou convencer os céticos de que projeto “Um Cinturão, Uma Rota” trará crescimento sustentável para todos os envolvidos

Por Reuters

access_time 28 abr 2019, 17h14 – Publicado em 28 abr 2019, 17h13

Pequim – O presidente da China, Xi Jinping, comemorou neste sábado acordos de mais de 64 bilhões de dólares assinados nesta semana no âmbito da iniciativa do “Um Cinturão, Uma Rota”, e procurou convencer os céticos de que o projeto de infraestrutura trará crescimento sustentável para todos os envolvidos.

Xi disse que os princípios de mercado nortearão os projetos de cooperação e que sua iniciativa de reconstruir a antiga Rota da Seda que ligava a Ásia à Europa trará desenvolvimento de qualidade e com respeito ao meio ambiente.

“Mais e mais amigos e parceiros se juntarão à cooperação do Cinturão e Rota”, disse Xi Jinping no final do seu discurso. “Essa cooperação terá alta qualidade e perspectivas brilhantes.”

Xi e outras autoridades têm repetidamente tentado assegurar aos parceiros e potenciais participantes de que Pequim não pretende sobrecarregá-los com grandes dívidas e que o projeto deve beneficiar a todos os envolvidos.

Um comunicado conjunto emitido no fim do encontro informou que líderes concordaram com um financiamento do projeto que respeite as metas globais de dívida e promova crescimento “verde”, em linha com um esboço ao qual a Reuters teve acesso na semana passada.

Em outro comunicado, a China afirmou que assinou um memorando de entendimento com vários países, incluindo Itália, Peru, Barbados Luxemburgo e Jamaica.

“Tudo isso mostra que a cooperação do Cinturão e Rota está de acordo com o seu tempo, fortemente apoiado, com as pessoas no centro e beneficiando a todos”, afirmou o presidente.

Dados da Refinitiv mostram que o valor total dos projetos chega a 3,67 trilhões de dólares e envolve países da Ásia, Europa, África, Oceania e América do Sul.

Algumas nações parceiras reclamaram do alto custo dos projetos, lançados em 2013. Já alguns governos do Ocidente veem a iniciativa como uma forma de a China aumentar sua influência no mundo, deixando países pobres com dívidas insustentáveis.

A China anunciou nesta semana que criará uma estrutura de dívida sustentável para “prevenir e resolver riscos de débito”.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!