Cielo participa da concorrência da Caixa Econômica e acirra guerra das maquininhas – Portal do Bitcoin

Na quarta (24), o presidente da Cielo, Paulo Caffarelli, disse que a companhia – controlada pelo Banco do Brasil e Bradesco – entrará na concorrência pela área de adquirência da Caixa Econômica Federal, informou o Diário do Comércio e Indústria (DCI).

“Conhecemos a operação [atendemos a Caixa em adquirência] e temos todo o interesse em participar do processo de concorrência”, afirmou Paulo Caffarelli à imprensa, após apresentar os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2019. Segundo o executivo, o assunto está sendo discutido pelo Conselho de Administração da companhia aberta.

A CEF é uma das três principais instituições financeiras atendidas pela Cielo – as outras são o Bradesco e Banco do Brasil. Em 29 de março, Pedro Guimarães, presidente da CEF, lamentou que o banco público não tenha sua própria adquirente (credenciadora de estabelecimentos). “A CEF perde R$ 1 bilhão por ano por não ter um adquirente”, disse Guimarães aos jornalistas.

Uma semana depois, a estatal abriu um processo [concorrência] para selecionar um parceiro nesta área. Ou seja, a disputa está em aberto tanto para a Cielo como para outras empresas.

Em mais um capítulo da chamada “guerra das maquininhas”, Caffarelli informou que a partir de quinta (25) também oferecerá máquina grátis para clientes que alcançarem o volume financeiro mínimo mensal de R$ 1,6 mil por três meses seguidos.

Na mesma toada dos anúncios recentes em cascata da Rede, SafraPay e PagSeguro, a Cielo a partir do final do mês de maio também vai antecipar recursos de “forma instantânea” para os clientes que tiverem conta digital na Cielo. “Estamos conversando com os bancos parceiros [Bradesco, BB e Caixa], mas não estamos limitando para banco algum”, garantiu o executivo.

Questionado por jornalistas sobre eventual prática de “dumping” de grandes credenciadoras como a denunciada no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pela Associação Brasileira de Instituições de Pagamento (Abipag), Caffarelli não comentou o assunto, mas respondeu que a Cielo preza pela transparência aos seus clientes. “Deixamos claro para o cliente, qual é o preço final que ele paga, sem asteriscos”, afirmou o presidente.

Já o balanço da companhia detalhado pelo vice-presidente financeiro Gustavo Henrique Santos de Sousa, a Cielo reportou lucro líquido de R$ 548,5 milhões no primeiro trimestre de 2019, valor 45% menor quando comparado com igual período de 2018. A base de clientes aumentou de 5,7% para 1,21 milhão.

O post Cielo participa da concorrência da Caixa Econômica e acirra guerra das maquininhas apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!