Tailândia fracassa na busca por casal entusiasta de bitcoin que montou ilha flutuante – Portal do Bitcoin

O casal Chad Elwartowski e Supranee Thepdet continua foragido desde o dia 13 de abril. Eles moraram por dois meses em uma casa flutuante em alto mar (seastead) que pagaram com bitcoin. A construção foi proibida e posteriormente destruída pelas autoridades da Tailândia.

Eles conseguiram fugir antes da chegada da Marinha ao local — no dia anterior eles perceberam que uma aeronave de vigilância sobrevoava o a área, segundo a CCN.

De acordo com o site The Phuket News, a polícia conseguiu rastrear o casal até a ilha de Tarutao, na fronteira com a Malásia, mas não os encontrou porque eles desligaram o celular, cujo sinal era usado pela inteligência policial.

Construtora adia vendas

O ataque da Marinha da Tailândia à casa flutuante (seastead) do casal entusiasta do bitcoin Chad Elwartowski e Supranee Thepdet ocorreu dois dias antes de uma oferta de venda antecipada de 20 unidades da construtora.

Segundo o site da Ocean Builders, responsável pela construção das seasteads, eles planejaram vendas antecipadas de mais 20 casas flutuantes para o dia 15 de abril — a Marinha visitou a casa de Elwartowski e Supranee no dia 13 e a rebocou no dia 22.

“A partir de 15 de abril de 2019, começaremos a coletar dinheiro para os interessados ​​em comprar um seastead”, diz a página. Até mesmo um tipo de ICO foi criada, a Initial Seastead Offering (ISEAO), que traduzido significa ‘Oferta Inicial de Seastead’.

O valor cobrado pela equipe de engenheiros vai de US$ 150 mil a US$ 200 mil por unidade (de R$ 600 mil a R$ 800 mil aproximadamente). O site revela que há 69 compradores interessados, mas, devido à ocorrência, as vendas foram adiadas.

Além disso, a Ocean Builders revela que havia pedidos para construção de um restaurante e de três hotéis. A empresa afirma que mais de 300 solicitações de informações já chegaram até eles.

Apelo às autoridades da Tailândia

Um dia antes da ofensiva marítima, a Ocean Builders publicou um artigo que chamava as autoridades para uma discussão, até mesmo porque eles acreditavam que a Marinha não teria condições de manipular a seastead sem prejudicar sua estrutura.

“Mover o Seastead pode ser perigoso e alguém pode se machucar se não entender como a estrutura complexa funciona. Isso não é algo que você pode simplesmente rebocar e colocar em terra”, escreveu no site no dia 21 de abril.

Casal queria comunidade em alto mar

Com sua nova residência em alto mar, Elwartowksi e Supranee (também conhecida como Nadia Summergirl), idealizavam uma comunidade que incluiria um resort e um restaurante na costa da Tailândia. Eles moraram na casa por dois meses e partiram antes que a marinha tailandesa invadisse a estrutura.

No entanto, a seastead estava na zona econômica exclusiva de 320 quilômetros da Tailândia, segundo as autoridades. Portanto, por estarem em território tailandês, eles violaram a soberania do País.

Comunidade se sensibiliza

De acordo com o The New York Times, defensores dizem que comunidades flutuantes em águas internacionais oferecem uma maneira de explorar sociedades alternativas e governos além das fronteiras dos países.

Segundo o jornal, é um conceito que existe há mais de uma década, mas o casal foi o primeiro a realmente viver o estilo de vida.

“Acho que é uma oportunidade perdida para a Tailândia”, disse um dos fundadores do movimento seasteading, o teórico libertário Patri Friedman, que conversou com membros da Ocean Builders.

Sobre a ação autoritária da Tailândia, Friedman disse que é injusto rotular os defensores do seasteading como anarquistas ou magnatas da tecnologia que tentam escapar dos impostos.

Ele diz que o objetivo é explorar novas idéias para viver juntos e governar, o que não é possível fazer isso em países existentes.

“É ridículo acusar o casal de um crime capital por simplesmente morar em uma casa no mar. Duas pessoas em uma casa flutuante é uma lua de mel, não uma revolução”.

O casal segue foragido. Se condenados, o casal pode enfrentar pena de morte ou prisão perpétua.


3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

O post Tailândia fracassa na busca por casal entusiasta de bitcoin que montou ilha flutuante apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!