Economia dos EUA em Estado Ótimo – Investing.com

Mais uma ‘surpresa’ positiva nos EUA com o crescimento dos gastos dos consumidores, combinado com uma inflação baixa do PCE e núcleo estável, reforçando a vitória do Fed no cumprimento do duplo mandato, ainda que haja pouca compreensão dos motivos que levam a tal fenômeno.

Com o resultado do PIB americano na sexta-feira aos 3,2% (proj.: 2,2%) o que causa maior estranhamento são as curvas de juros nos EUA apontando para um possível corte na taxa em outubro deste ano, contrariando ainda mais os preceitos macroeconômicos.

O atual aquecimento econômico combinado com inflação baixa significa que no mínimo a taxa atual estaria operando dentro do seu ‘ótimo’ e a necessidade de estímulos adicionais foge do racional.

Os temores neste momento é que tanto a autoridade monetária quanto os investidores estejam se inserindo numa perigosa armadilha de liquidez, montada durante os Quantitative Easing (QE) durante a crise das hipotecas, onde a dificuldade em se sair possa deflagrar outra crise, que não conta com parâmetro conhecidos.

No Brasil, o déficit do setor público consolidado hoje deve seguir a mesma linha do governo central ontem, operando dentro de parâmetros de normalidade sazonal e mantendo a perspectiva das metas de déficit para o ano inalteradas, ou seja, nada mudou com a ausência de reformas estruturantes.

Destacam-se hoje os resultados de Apple (NASDAQ:), Samsung, Mastercard, Pfizer, Merck, McDonald’s, BP, IBM (NYSE:), Eli Lilly, Sanofi (PA:), Airbus, GE, ConocoPhilips, Chubb, GM, Seagate, LG, Mapfre, Santander (SA:), Gol (SA:) e CCP.

CENÁRIO POLÍTICO

As declarações do presidente Bolsonaro ontem, ainda que em tom de brincadeira demonstra quem a ausência da liturgia do cargo é um fator preponderante ao atual ocupante.

Comunicações sobre empresas listadas no mercado, sobre indicadores econômicos que ainda não foram divulgados ou de questões de grande sensibilidade demandam uma comunicação cuidadosa, coisa que não tem ocorrido atualmente.

O filho do presidente toma para si este papel algumas vezes, o que só piora o cenário cada vez em que se pronuncia, por um conhecimento ainda menor das nuances de um cargo executivo desta natureza.

Em resumo, o presidente poderia evitar ‘brincadeiras’ que o deixem parecido com sua antecessora, pois não é uma boa referência.

ABERTURA DE MERCADOS

A abertura na Europa é negativa e os futuros NY abrem mistos, com expectativa por balanços e o primeiro dia do FOMC.

Na Ásia, o fechamento foi misto, com reação aos PMI chineses abaixo das expectativas.

O opera em queda contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam positivos em todos os vencimentos.

Entre as commodities metálicas, altas, exceção ao .

O abre em alta, com a OPEP reforçando os cortes.

O índice de volatilidade abre em queda de 0,76%

CÂMBIO

Dólar à vista : R$ 3,9428 / 0,27 %

Euro / Dólar : US$ 1,12 / 0,223%

Dólar / Yen : ¥ 111,32 / -0,296%

Libra / Dólar : US$ 1,30 / 0,549%

Dólar Fut. (1 m) : 3938,20 / 0,13 %

JUROS FUTUROS (DI)

DI – Janeiro 20: 6,51 % aa (-0,12%)

DI – Janeiro 21: 7,14 % aa (0,42%)

DI – Janeiro 23: 8,26 % aa (0,24%)

DI – Janeiro 25: 8,78 % aa (0,11%)

BOLSAS DE VALORES

FECHAMENTO

: -0,05% / 96.188 pontos

: 0,04% / 26.554 pontos

: 0,19% / 8.162 pontos

: -0,22% / 22.259 pontos

: -0,65% / 29.699 pontos

: -0,54% / 6.325 pontos

ABERTURA

: 0,017% / 12330,06 pontos

: -0,212% / 5569,13 pontos

FTSE: -0,111% / 7432,43 pontos

Ibov. Fut.: 0,04% / 96932,00 pontos

S&P Fut.: -0,092% / 2940,20 pontos

Nasdaq Fut.: -0,074% / 7808,00 pontos

COMMODITIES

Índice Bloomberg: 0,53% / 80,95 ptos

Petróleo WTI: 1,37% / $64,37

:1,32% / $72,99

: 0,41% / $1.285,10

: 0,01% / $93,17

: -0,65% / $15,22

: -0,14% / $351,75

: 0,00% / $91,35

: 0,60% / $11,70

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!