Fed mantém taxa de juros após dados mostrarem economia saudável – Exame

O presidente Donald Trump pediu redução das taxas em um ponto percentual e outras medidas para estimular a economia

Por Reuters

access_time 1 maio 2019, 15h50

Washington – O Federal Reserve manteve a taxa de juros ​​nesta quarta-feira, à medida que os membros do banco central dos Estados Unidos se animaram com os números de emprego no país e com o crescimento econômico, mantendo a esperança de que a inflação subirá.

“O mercado de trabalho continua forte… a atividade econômica subiu a uma taxa sólida” nas últimas semanas, disse o Fed em comunicado, um dia depois de o presidente Donald Trump pedir redução das taxas em um ponto percentual e outras medidas para estimular a economia.

Os membros do Fed disseram que a economia está em boa forma, com o crescimento contínuo do emprego e da economia, e um eventual aumento da inflação é ainda “o cenário mais provável”, com a expansão dos EUA chegando a 10 anos.

No fim da reunião de dois dias, o Fed também cortou o juro que paga a bancos sobre as reservas excedentes de 2,4 para 2,35 por cento, em um esforço para garantir que sua principal taxa de empréstimo overnight permaneça dentro da faixa alvo atual.

A principal preocupação sinalizada na declaração de política é o nível atualmente “silencioso” de inflação, que continua a ficar aquém da meta de 2 por cento do Fed. A declaração sugere que um declínio recente na inflação pode ser mais persistente do que o esperado, e não deve mais ser culpada simplesmente pela queda nos preços da energia.

Os dados mais recentes mostraram inflação de cerca de 1,5 por cento anualizada, o que seria um problema se significasse que as famílias e as empresas têm dúvidas sobre a força da economia e estavam menos dispostas a gastar e investir.

Entre isso e uma economia global mais fraca, o Fed reiterou que será “paciente” na decisão sobre quaisquer outras mudanças na taxa de juros, que ficou na faixa de 2,25 a 2,50 por cento.

Não houve indicação na declaração de política monetária do Fed de que um corte ou aumento da taxa esteja em jogo tão cedo.

O Fed aumentou as taxas quatro vezes em 2018 e, em dezembro, antecipou novos aumentos nos custos de empréstimos este ano. No início deste ano, interrompeu a campanha diante das preocupações com dados fracos nos Estados Unidos e no exterior.

A decisão política foi unânime, um sinal de que o Fed segue firme na promessa de manter a taxa de juro inalterada até que dados econômicos deem razão convincente para fazer o contrário.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!