Dados fortes nos EUA empurram dólar para cima, mas cena local limita ganhos Por Reuters – Investing.com


Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O registrou a maior alta em mais de uma semana ante o real nesta sexta-feira, voltando a superar o nível de 3,80 reais, em meio à força global da moeda depois de dados mais fortes nos Estados Unidos refrearem apostas agressivas de cortes de juros pelo Federal Reserve.

O dólar à vista subiu 0,54%, a 3,8200 reais na venda.

É o maior ganho percentual diário desde 25 de junho (0,69%).

Na semana, a cotação acumulou queda de 0,55%.

Os EUA geraram, em termos líquidos, 224 mil novos postos de trabalho fora do setor agrícola em junho, bem acima dos 160 mil previstos por analistas consultados pela Reuters. Em relatório semestral divulgado após os dados de emprego, o Fed descreveu o mercado de trabalho como forte e a inflação fraca como “transitória”.

De forma geral, os números pegaram um mercado com amplas apostas de cortes de juros pelo Fed no fim deste mês. Segundo analistas, a convicção em juros menores nos EUA vinha explicando a desvalorização recente da moeda norte-americana no mundo e no Brasil.

“Os dados de hoje nos fazem manter nossa estimativa fora da curva de mercado, de que não haverá redução de juros em julho”, disseram estrategistas do Citi em nota, lembrando que na semana que vem o chairman do Fed, Jerome Powell, dará depoimento no Congresso dos Estados Unidos.

Apesar da desvalorização desta sexta, o real ainda teve desempenho melhor que alguns de seus pares, ainda na esteira do otimismo gerado com a aprovação, na véspera, do parecer da reforma da Previdência em comissão especial.

O Morgan Stanley –que em junho passou a recomendar posição comprada em real (que ganha com a valorização da divisa brasileira)– lembra que o posicionamento contrário ao real nos mercados futuros ainda é relevante, o que, tecnicamente, deixa a moeda doméstica inclinada a altas.

“Achamos que o real pode continuar registrando ganhos no curto prazo”, afirmaram estrategistas do banco, que estimam dólar a 3,75 reais ao fim deste ano.

(Por José de Castro)

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!