Governo deve anunciar medidas de desestatização em 15 dias, diz secretário – Exame

Equipe econômica prepara um pacote “pós-Previdência” e deve lançar um site com as propostas previstas para o país

Por Estadão Conteúdo

access_time 10 jul 2019, 21h03 – Publicado em 10 jul 2019, 21h02

Brasília — O secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, disse que o governo anunciará medidas na área de privatização em cerca de 15 dias. “Teremos muitas notícias daqui a duas semanas”, afirmou.

Salim falou rapidamente com a imprensa ao deixar o ministério, mas não quis dar detalhes. O governo espera a reforma da Previdência ser aprovada para anunciar medidas para aquecer a economia e na área de privatizações.

A equipe econômica trabalha para reunir num site as medidas já adotadas pelo governo e as que estão por vir após a Câmara dos Deputados aprovar a reforma da Previdência, num esforço para dar publicidade ao que vem sendo feito em meio às críticas de que o governo estacionou nas regras da aposentadoria e pouco fez para impulsionar a combalida atividade econômica.

As medidas serão organizadas sobre três pilares: equilíbrio fiscal; produtividade e competividade; e melhoria do serviço para o cidadão.

Na segunda-feira à noite, integrantes do alto escalão da equipe econômica, incluindo o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, se encontraram informalmente e debateram o horizonte pós-Previdência diante da avaliação que a reforma deve ser aprovada na Câmara dos Deputados antes do recesso parlamentar.

Na quinta-feira, será a vez de todos os secretários da Economia se reunirem com Guedes para missão semelhante.

A ideia é jogar luz sobre as próximas ações do governo e centrar esforços nas pautas que são vistas como de maior aceitação junto ao Congresso e à própria sociedade.

“É para preparar não o anúncio, mas a concatenação daquilo que já está acontecendo porque eles (técnicos) trabalharam praticamente no anonimato para não atrapalhar a reforma da Previdência”, disse uma fonte que integra o time.

Entrará nessa compilação, por exemplo, o choque de energia barata prometido por Guedes, tema que começou a ganhar terreno e deve ser perseguido como meta daqui para frente.

Membros do próprio governo já disseram que a equipe trabalha numa proposta de reforma tributária e num novo pacto federativo com divisão de recursos com Estados e municípios. Para movimentar a economia, a liberação de recursos do PIS/Pasep e do FGTS também está sendo engatilhada.

“Nós temos no segundo semestre, por delegação e determinação do ministro Guedes, uma série de medidas a serem anunciadas, parte com Congresso, parte diretamente pelo setor Executivo”, disse a jornalistas esta semana o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues.

No cardápio de medidas, estão iniciativas tanto para fomentar o uso de imóveis em garantia para empréstimos mais baratos como para a regulação da hipoteca reversa, pelo qual o dono de um imóvel, ao abrir mão da titularidade do bem em favor de um banco, receberá da instituição uma espécie de salário até o fim da vida.

No grupo de ações já adotadas estão a Medida Provisória da Liberdade Econômica, para reduzir papel do Estado na criação e gestão de negócios, e o projeto que cria um plano de socorro a Estados, com o governo concedendo garantia para empréstimos feitos por entes que se comprometerem com medidas de ajuste fiscal.

Assim como o BC organizou e divulgou amplamente sua pauta de prioridades na chamada Agenda BC+, rebatizada de BC# sob a gestão de Campos Neto, o Ministério da Economia buscará, com o site, fazer o mesmo.

O lançamento do site poderá ocorrer já na próxima semana caso o ministro Guedes não viaje com o presidente Jair Bolsonaro para a Argentina.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!