Aplicação do acordo UE-Mercosul deve levar ao menos 2 anos, diz Malmström – Exame

O acordo deve ser aprovado pelos países do bloco e pela Eurocâmara, o que pode levar “dois anos, no mínimo”, explicou a comissária europeia

Por AFP

access_time 16 jul 2019, 10h29

A entrada em vigor do acordo concluído entre União Europeia (UE) e os países do Mercosul levará dois anos, no mínimo, afirmou a comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmström.

“Dois anos, é realista”, afirmou a comissária sueca em uma entrevista à AFP na segunda-feira, antes de explicar que o tratado deve ser traduzido para 23 línguas e passar por uma revisão legal.

Depois, os países do bloco devem aprovar o texto final para sua entrada em vigor provisória e parcial, que também deve receber a aprovação da Eurocâmara, etapas que podem levar “dois anos, no mínimo”, explicou Malmström.

Após 20 anos de negociações, UE e Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) concluíram um Acordo de Associação entre os blocos, que inclui capítulos de diálogo político e comercial.

Os capítulos comerciais, que buscam reduzir as tarifas dos dois lados do Atlântico, entrarão em vigor durante a aplicação provisória, à espera da ratificação por todos os países.

Algumas nações europeias, incluindo França, Polônia e Irlanda, já expressaram preocupação com o impacto dos acordos para o setor agrícola do continente. Diversas ONGs também alertaram sobre as consequências para o meio ambiente.

Durante a entrevista, Malmström reconheceu que existem “algumas preocupações em determinados países”, mas defende um um “bom acordo” e criticou as pessoas que “divulgam rumores para colocar medo nas pessoas”.

“Aqueles que trabalham na agricultura hoje estão preocupados com o futuro. É normal. Mas, na verdade, a agricultura não é sacrificada neste acordo”, completou a comissária.

Ao comentar as críticas à política ambiental do Brasil no governo do presidente Jair Bolsonaro, Malmström afirmou que alcançar um acordo com o Mercosul não significa estar de acordo com todas as políticas dos quatro países do bloco.

“O presidente americano (Donald Trump) tenta que outros líderes políticos se unam a ele e saiam do Acordo de Paris sobre o clima. O presidente Bolsonaro escolheu e veio conosco”, disse.

O acordo eliminará em até 15 anos 91% das tarifas do Mercosul aos produtos europeus e a UE fará o mesmo com 92% dos produtos do bloco sul-americano em 10 anos.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!