Dólar corrige para cima com sinal externo em meio a dúvida sobre corte de juros nos EUA Por Reuters – Investing.com


Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O subiu frente ao real nesta sexta-feira, puxado pela alta da moeda no exterior, conforme operadores reduziram de forma consistente expectativa de alívio monetário mais intenso nos Estados Unidos no fim deste mês.

Na véspera, a cotação havia sofrido firme baixa, na esteira de comentários “dovish” do presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, lidos como um recado de que o Fed cortaria os juros em 0,50 ponto percentual.

Mas nesta sessão o dólar recobrou fôlego em todo o mundo, depois que o Fed de Nova York fez ponderações às falas de Williams. Além disso, James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, defendeu nesta sexta-feira corte de apenas 0,25 ponto percentual nos juros.

Os mercados de câmbio têm demonstrado mais sensibilidade ao noticiário sobre política monetária à medida que se aproxima a reunião do Fed, nos dias 30 e 31 de junho. O dólar perdeu força nas últimas semanas justamente pela crescente perspectiva de uma redução de juros mais intensa nos EUA.

Operadores estão atentos ainda ao sinal do Banco Central brasileiro, que também anuncia decisão de juros no próximo dia 31.

“Se o Copom reduzir a Selic sem que o Fed reduza o juro americano, vai afetar o mercado de cupom cambial e impactar no preço do dólar no nosso mercado à vista, que está com fluxo negativo”, disse Sidnei Moura Nehme, diretor-executivo da NGO Associados Corretora de Câmbio.

As taxas de cupom cambial –juro em dólar– são termômetros da liquidez no mercado. Em junho, o cupom disparou, forçando o Banco Central a fazer a maior venda de dólares via operações de linha desde dezembro passado.

Nesta sexta-feira, o BC vendeu ao mercado 2 bilhões de dólares para rolagem de linhas que vencem no começo de agosto. Um novo leilão com mesmo volume está previsto para segunda-feira.

O dólar à vista () fechou esta sexta-feira em alta de 0,43%, a 3,7453 reais na venda.

Na B3, o contrato de dólar futuro mais negociado ganhava 0,85%, para 3,7535 reais.

Lá fora, o índice (), que mede o valor do dólar contra uma cesta de divisas, se apreciava 0,37%, praticamente devolvendo toda a queda da véspera.

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!