Preso diz ter emprestado nome a hacker – Isto É

Em depoimentos à Polícia Federal, três presos por suspeita de hackear autoridades, junto com Walter Delgatti Neto, apresentaram versões nas quais “Vermelho” é tratado como líder do grupo. A GloboNews revelou e o jornal o Estado confirmou o teor das oitivas prestadas na semana passada. O motorista Danilo Cristiano Marques afirmou à PF que emprestou seu nome para o amigo Delgatti Neto alugar um imóvel em Ribeirão Preto em 2018. As contas do imóvel ficaram no nome de Marques. Ele disse que não recebeu pagamentos ou vantagens para emprestar o nome.

O DJ Gustavo Henrique Elias Santos disse em seu depoimento que também chegou a ser hackeado por Delgatti Neto em fevereiro. O próprio hacker teria confirmado a ação e, meses depois, revelado a Gustavo que tinha acessado a conta de Sérgio Moro no Telegram. Ele disse ter registros da troca de mensagens. Ele justificou sua movimentação financeira com negociações em criptomoedas. O DJ afirmou que Delgatti Neto é “simpatizante do PT” e que pretendia vender as mensagens acessadas para o partido.

Suelen Priscila de Oliveira, também presa, afirmou que desconhece as operações financeiras do namorado Gustavo, mas confirmou que ele fazia movimentações em seu nome.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!