Exportações de suco de laranja fecham safra 18/19 com queda de 20% – Exame

Os envios costumam ultrapassar a marca de 1 milhão de toneladas por ano, sendo esta a segunda safra da série histórica a terminar abaixo do valor

Por Gabriel Araujo, da Reuters

access_time 29 jul 2019, 19h58

São Paulo — As exportações totais de suco de laranja do Brasil recuaram 20% na safra 2018/19, encerrada em junho, em comparação com a temporada anterior, totalizando 925.884 toneladas, informou nesta segunda-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR).

As receitas com os embarques de suco de laranja (FCOJ equivalente a 66º brix), por sua vez, registraram queda de 18% no período, para 1,7 bilhão de dólares, ainda de acordo com a CitrusBR.

A associação cita como principais justificativas para as baixas uma recuperação da safra da Flórida, nos Estados Unidos, e uma diminuição no consumo do produto na Europa.

“Na safra 2018/2019, a temporada de furacões na Flórida foi branda, ao contrário do que ocorreu em 2017, quando o furacão Irma devastou os pomares, e prejudicou muito a produção local, obrigando os norte-americanos a importar muito mais suco”, disse o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto, em nota.

Na comparação anual, as exportações para os EUA marcaram quedas de 39% tanto em volume quanto em receita, totalizando 193.683 toneladas e 341 milhões de dólares.

“Já na Europa, percebemos um certo recuo que pode ser associado à migração para outros produtos, fato que tem sido constante nos últimos anos”, completou.

As vendas para a Europa tiveram baixa de 10% em volume, com 606.522 toneladas, e de 8% em faturamento, com 1,1 bilhão de dólares.

Em uma série histórica compilada pela CitrusBR, que se inicia em 2001, o volume embarcado em 2018/19 perde apenas para as 894,7 mil toneladas registradas na temporada 2016/17, quando o setor teve uma mínima desde 1990/91, por impacto de uma forte quebra de safra.

As exportações de suco de laranja do Brasil costumam ultrapassar a marca de 1 milhão de toneladas por ano, sendo esta a segunda safra da série histórica da CitrusBR a terminar abaixo do valor — ao lado exatamente da temporada 2016/17.

Além da menor demanda, o setor enfrentou uma menor oferta da fruta em 2018/19, com uma queda de quase 30% na produção do cinturão citrícola do maior exportador global de suco de laranja.

Para a próxima temporada, o produção de laranja deverá se recuperar, segundo estimativa do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus).

Isoladamente, os embarques de suco de laranja concentrado congelado (FCOJ) totalizaram 660.699 toneladas em 2018/19, um recuo de 24,68% ante 2017/18.

Já as vendas do suco não-concentrado NFC tiveram melhor performance, com uma queda de apenas 0,5% no período, somando 1.495.918 toneladas.

“A performance do NFC não foi ruim, levando-se em consideração que, na safra passada, as exportações para os EUA foram muito acima da média por causa dos efeitos do furacão”, disse Netto. “Os números reforçam a tendência de crescimento do NFC em relação ao FCOJ.”

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!