ANP aprova edital e modelo de contrato de licitação da cessão onerosa

O edital e os modelos de contratos da Rodada de Licitações dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa, marcada para o dia 6 de novembro, foram aprovados hoje (1º) pela diretoria Colegiada da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Agora, os documentos vão seguir para a aprovação do Ministério de Minas e Energia (MME) e, em seguida para avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU). De acordo com o órgão regulador, a previsão é de que a versão final seja publicada no dia 6 de setembro.

A publicação do pré-edital e das minutas de contrato ocorreu no dia 13 de junho. Depois disso, passaram por consulta pública de 20 dias e audiência pública no dia 5 de julho. Nessa etapa foram recebidas 321 contribuições do mercado. Dessas, 271 se referiam às minutas de contrato e 50 ao pré-edital. Todas foram analisadas pela ANP em conjunto com o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural – Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA).

A ANP informou que além das contribuições, novas diretrizes publicadas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e pelo MME alteraram os documentos. As principais alterações no edital foram: a ANP determinará o acordo de coparticipação (ACP), de acordo com as melhores práticas da indústria, caso as partes não o assinem voluntariamente; haverá possibilidade de se firmar um pré-acordo estabelecendo os termos e condições que permitam às licitantes vencedoras obter acesso a um percentual da produção de área coparticipada no período entre a assinatura do Contrato de Partilha de Produção (CPP) e a do ACP; previsão de que o termo aditivo ao acordo de individualização da produção (AIP) tenha vigência no mesmo dia da data efetiva do ACP; aprimoramento das regras de aproveitamento de documentos expedidos no exterior, de forma a evitar custos desnecessários.

Quanto ao contrato, foram incluídas, no Anexo VIII, questões relativas ao funcionamento do Comitê Operacional. Houve acréscimo também de trecho especificando que as operações realizadas com o consentimento de todos os contratados, mas sem a concordância da gestora, terão tratamento de operações com risco exclusivo. A redação também foi revisada para que estivesse conforme às normas do CNPE e MME e às mudanças regulatórias da própria Agência.

Edição: Denise Griesinger

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!