Conab estima safra recorde de grãos para safra 2018/2019

Estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicam que os agricultores brasileiros devem colher 241,3 milhões de toneladas de grãos durante a safra 2018/2019. Os números do 10º Levantamento da Safra de Grãos 2018/2019, divulgados hoje (11), em Brasília, apontam para uma produtividade 6% superior aos 227,6 milhões de toneladas colhidas na última safra de grãos. Caso a previsão se confirme, o setor registrará mais um recorde favorável de produtividade.

O principal destaque é o milho. Embora a produção do cereal primeira safra deva atingir 26,2 milhões de toneladas – uma redução de 2,1% -, a produção do milho segunda safra deve atingir uma produção recorde de 73,1 milhões de toneladas. Resultado que, se confirmado, significará um acréscimo de 35,6% em comparação à safra de 2017/18.

“A colheita já está bastante avançada e, segundo nossos levantamentos, já atingiu 84% da área plantada. Em comparação com o levantamento anterior, houve um acréscimo de 750 mil toneladas devido à boa produtividade. Com a soma das duas safras, a previsão é que se obtenha a maior produção da história, estimada em 99,3 milhões de toneladas de milho”, disse o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Guilherme Soria Bastos Filho.

No levantamento anterior, os técnicos da Conab estimavam que a produção de grãos da safra de 2018/2019 atingiria um total de 240,7 milhões. De acordo com Bastos Filho, a previsão mais otimista, divulgada hoje, deve-se, em grande parte, aos resultados do plantio do milho segunda safra. “Muito deste aumento veio em função do aumento da produção do milho segunda safra. O crescimento total [da produção] em relação à safra anterior é de 13,66 milhões de toneladas”, acrescentou o diretor.

O milho foi uma das culturas a ocupar uma área de plantio maior que a ocupada na safra anterior, cobrindo um total de 12,4 milhões de hectares na segunda safra. De acordo com Filho, a colheita já se estende a 84% da área total plantada com o produto.

Outros grãos

A área total plantada com grãos é estimada em cerca de 63 milhões de hectares. Ou seja, uma área 2% superior à ocupada na safra anterior. Além do milho segunda safra, que ocupou 894 mil hectares a mais que em 2017/2018, o plantio de soja e de algodão foram os que mais se expandiram, ocupando, respectivamente, 726,6 mil hectares e 435,6 mil hectares a mais.

Embora a área de plantio da soja tenha crescido 2,1%, a estimativa é que a produção atual seja 3,5% menor em comparação ao último período, atingindo um total de 115,1 milhões de toneladas – com as regiões Centro-Oeste e Sul respondendo por 78% desta produção.

Praticamente fechada, a produção nacional de arroz deverá atingir 10,4 milhões de toneladas, um resultado 13,6% inferior ao da última safra, atribuído às reduções da área de plantio nos principais estados produtores.

O país deverá colher também 4 milhões de algodão em caroço, ou 2,7 milhões de toneladas em pluma, o que, se confirmado, significará um volume 34,2% superior ao da safra passada. A colheita já foi iniciada e está em 28% da safra plantada.

A produção do feijão primeira safra, cuja colheita já foi encerrada, registrou uma queda de 22,5%, totalizando 996,4 mil toneladas. Os técnicos da Conab atribuem o resultado à redução da área de plantio e da produtividade no Paraná, em Minas Gerais e na Bahia. Em relação ao feijão de segunda safra, onde a colheita está em fase final, o clima favorável contribuiu para uma produção de 1,3 milhão de toneladas, 7,2% acima da obtida no período anterior. O feijão terceira safra também teve aumento de 20,5% e deve ter uma produção de 739,6 mil toneladas.

A produção total de trigo estimada é de 5,4 milhões de toneladas. O plantio do cereal deverá ocupar uma área total de 1,99 milhão de hectares – área 2,6% inferior a divulgada em 2018. Devido a alguns problemas como os efeitos de geadas, a produtividade foi reduzida em 28 quilos por hectare.

Desmatamento

Presente à divulgação do Levantamento da Safra de Grãos, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eduardo Sampaio Marques, comemorou os resultados.

“Esta é mais uma boa notícia que vem da agricultura. A segunda safra vem sendo colhida muito bem e pode ser que ainda haja uma surpresinha no final”, disse Marques, destacando o ganho de produtividade das principais culturas. “Destes 63 milhões de hectares de área plantada, 17,8 milhões de hectares, segundo estimativa da Conab, são plantadas mais de uma vez. Ou seja, o que temos são cerca de 45 milhões de hectares plantadas com grão, pois em quase 18 milhões de hectares, o plantio é feito mais de uma vez. Isto mostra um uso muito intensivo do recurso terra”, disse o secretário.

“Temos que valorizar muito isto nestes tempos bicudos em que estamos sendo tão criticados, nós, do setor agrícola e do governo. Porque o desmatamento está aumentando. De fato, aumentou, mas a agricultura não é vetor disto. Óbvio que deve haver, [por exemplo], soja em área nova, mas é insignificante em relação aos 800 mil hectares que a área plantada com soja aumentou, pois se eu pegar o que reduziu de área de arroz e de feijão e milho de primeira safra, é mais que aumentou a área [plantada com]soja”, acrescentou Marques.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!