TAC prevê que Petrobras invista R$ 815 milhões na região do Comperj

O governo do estado do Rio de Janeiro, a Petrobras e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro assinaram hoje (9) um termo de ajustamento de conduta (TAC) para reparar prejuízos ambientais, sociais e econômicos causados pelo atraso nas obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj) na região de Itaboraí, São Gonçalo e Cachoeiras de Macacu.

Com o TAC, a Petrobras se compromete a investir R$ 814,5 milhões na recuperação da região, incluindo ações de saneamento básico e meio ambiente. R$ 300 milhões devem ser destinados exclusivamente a ações ambientais, incluindo o reflorestamento de uma área equivalente a 660 campos de futebol. 

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que, entre os investimentos atuais no Comperj, estão a Unidade de Processamento de Gás Natural. As obras no complexo empregam atualmente 4,5 mil pessoas, sendo 90% das cidades da região. A previsão de Castello Branco é que esse número aumente para 7 mil no ano que vem.

“O foco [da Petrobras] é o estado do Rio de Janeiro, que receberá, entre este ano e 2023, 54 bilhões de dólares em investimentos”, disse o presidente da estatal sobre o esforço da companhia de concentrar seus investimentos na produção e exploração de petróleo e gás.

O governador, Wilson Witzel, destacou que o Comperj é um caso emblemático de projeto relevante que foi impactado pela corrupção. “O que atrapalhou o Comperj foi a corrupção. O que atrapalhou o Rio de Janeiro foi a corrupção”, disse ele, que defendeu a instalação de mais refinarias no estado. 

Edição: Fábio Massalli

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!