Desmonte de Emergentes. Brasil Sofre com Bolsa e Dólar – Investing.com

A pergunta que se faz constantemente é por que o Brasil, dentre tantos mercados emergentes, sofre tanto com o desmonte global de posições e o Real passa por tal desvalorização.

Vamos observar pela ótica do estrangeiro somente, sem considerar as posições de investidores locais.

Investidores globais já haviam ajustado diversas posições em mercados emergentes num passado recente, em especial Argentina, África do Sul, Turquia e México, todos por uma série de problemas que inclusive afetam a ‘marca’ emergentes desde 2016.

Ainda assim, passadas as eleições majoritárias, a continuidade do ímpeto reformista no congresso brasileiro municiou estes investidores de argumentos para reforçar posições aqui, lembrando que ainda estamos em um patamar Junk em termos de classificação de risco, segundo as 3 maiores agências, o que atrai um capital de caráter mais especulativo.

Todavia, países como Malásia, Filipinas, Tailândia, Polônia, Rússia e China superam os seus pares (nós inclusive) na atração de investimentos, em especial a Malásia, a atual queridinha dos investidores internacionais.

Neste cenário de incertezas, principalmente em relação ao futuro dos juros nos EUA, dada a proximidade de Jackson Hole, o desmonte contra emergentes foi globalizado, na velha posição de flight to quality, que pode ser inclusive a bolsa americana.

Neste contexto, sofremos este desmoronamento do Real, pois a menor atratividade dos retornos de juros é alimentada pela perspectiva de um ciclo forte de afrouxamento monetário, incertezas políticas e redução pelo apetite pelo prêmio de maior risco.

Além disso, os estrangeiros começam a fazer contas simples de risco e retorno, principalmente observando o forte achatamento da curva de juros, em especial nos vértices mais longos, os quais tem mostrado forte fechamento desde maio.

Outro ponto é a retroalimentação da saída por conta da desvalorização cambial. A conta acima também começa a considerar o quanto ainda é possível permanecer no país, em vista às perdas em Reais que estão ocorrendo, dada as posições dos estrangeiros em papeis do tesouro.

Todos estes fatores são considerados cross-border risk, ou seja, risco de fronteira e não animam os estrangeiros, com grandes posições no Brasil, a permanecer no curto prazo.

Por fim, estamos num contexto de promessas, ou seja, promessa de uma reforma da previdência, tributária, avanços na agenda microeconômica, promessas de abertura comercial.

O problema é que tudo está ainda na seara de promessas para garantir estrangeiros aqui como na Malásia.

ABERTURA DE MERCADOS

A abertura na Europa é positiva e os futuros NY abrem em alta, com o alívio na perspectiva global de recessão.

Na Ásia, o fechamento foi misto, com o lançamento de novas linhas de financiamento na China.

O dólar opera em alta contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam negativos em todos os vencimentos.

Entre as commodities metálicas, altas, com exceção ao min. de ferro e cobre.

O petróleo abre em alta, na perspectiva de melhora do cenário econômico.

O índice VIX de volatilidade abre em baixa de -0,53%

CÂMBIO

Dólar à vista : R$ 4,0746 / 1,69 %

Euro / Dólar : US$ 1,11 / 0,036%

Dólar / Yen : ¥ 106,34 / -0,281%

Libra / Dólar : US$ 1,21 / -0,322%

Dólar Fut. (1 m) : 4070,13 / 1,65 %

JUROS FUTUROS (DI)

DI – Julho 20: 5,33 % aa (-0,12%)

DI – Janeiro 21: 5,46 % aa (1,11%)

DI – Janeiro 23: 6,43 % aa (0,94%)

DI – Janeiro 25: 6,93 % aa (0,73%)

BOLSAS DE VALORES

FECHAMENTO

Ibovespa: -0,34% / 99.469 pontos

Dow Jones: 0,96% / 26.136 pontos

Nasdaq: 1,35% / 8.003 pontos

Nikkei: 0,55% / 20.677 pontos

Hang Seng: -0,23% / 26.232 pontos

ASX 200: 1,20% / 6.545 pontos

ABERTURA

DAX: 0,024% / 11718,20 pontos

CAC 40: 0,216% / 5383,16 pontos

FTSE: 0,534% / 7228,07 pontos

Ibov. Fut.: -0,48% / 100168,00 pontos

S&P Fut.: 0,038% / 2924,80 pontos

Nasdaq Fut.: 0,152% / 7739,25 pontos

COMMODITIES

Índice Bloomberg: 0,11% / 76,71 ptos

Petróleo WTI: 0,14% / $56,29

Petróleo Brent:0,08% / $59,79

Ouro: 0,55% / $1.504,09

Minério de Ferro: 0,80% / $94,36

Soja: -1,52% / $14,92

Milho: 0,75% / $369,25

Café: 0,33% / $91,35

Açúcar: -0,26% / $11,44

Abertura de Mercados

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!