FMI anuncia que enviará equipe técnica à Argentina – Exame

O FIM afirmou estar acompanhando de perto os recentes eventos na Argentina, com a crise econômica provocada após a derrota de Mauricio Macri as primárias

Por EFE

access_time 20 ago 2019, 21h36

Washington — O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta terça-feira (20) que mandará em breve uma equipe técnica à Argentina, país imerso em uma fase de grande incerteza política e que conta com um plano de resgate aprovado pela organização.

“Uma equipe técnica do FMI viajará para Buenos Aires em breve”, disse o porta-voz do FMI, Gerry Rice, em comunicado, sem dar mais detalhes sobre a data da visita.

Rice disse que o FMI está acompanhando de perto os recentes eventos na Argentina, uma referência à grande derrota do atual presidente do país, Mauricio Macri, nas eleições primárias para o candidato peronista Alberto Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como companheira de chapa.

Macri havia assinado plano de resgate de US$ 57 bilhões com o FMI, um acordo muito criticado pela oposição. Com o triunfo de Fernández, o peso argentino despencou, a bolsa de valores teve um de seus piores dias da história e o risco-país disparou.

“Estamos em diálogo contínuo com as autoridades, enquanto eles trabalham para lidar com a difícil situação que o país enfrenta”, disse Rice.

O anúncio da visita da equipe técnica do FMI ocorre pouco depois de Macri trocar o comando do Ministério da Fazenda. Nicolás Dujovne renunciou ao cargo no sábado e foi substituído por Hernán Lacunza, que prometeu cumprir a meta fiscal firmada com a organização internacional e tentar estabilizar o valor do peso argentino frente ao dólar.

O FMI já repassou à Argentina US$ 44,1 bilhões do empréstimo assinado em 2018. O acordo, do tipo “stand-by”, prevê uma forte intervenção da organização internacional na elaboração da política econômica nacional.

 

O acordo e a situação econômica do país foram muito exploradas pelos opositores de Macri na campanha para as eleições primárias. Depois de vencer o atual presidente por uma vantagem de 15 pontos percentuais, Fernández é o favorito a vencer a disputa pela Casa Rosada em outubro.

Em julho, o FMI rebaixou as previsões para a economia da Argentina. Segundo as projeções da organização, o PIB do país deve recuar 1,3% neste ano e crescer 1,1% em 2020. Já a inflação deve fechar 2019 em 40%, valor superior aos 30,5% calculados inicialmente.

Bolsa

Nesta terça, a Bolsa de valores de Buenos Aires voltou a ter desempenho muito ruim. O índice S&P Merval fechou nesta terça em forte queda de 10,45%, para 27.230,62 pontos, o que mostra que a forte turbulência no mercado argentino na semana passada devido ao resultado das eleições primárias parece longe de se dissipar. Já o Índice Geral S&P/BYMA despencou 10,51%, para 1.177.060,85 pontos.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!