Vans, Timberland e mais 16 empresas suspendem compra do couro brasileiro – Isto É

Vendas ao mercado externo chegam a US$ 2 bilhões, afirma entidade

Algumas das principais marcas importadoras do couro brasileiro, como Vans, Timberland e The North Face, suspenderam seus negócios após divulgação da relação entre as queimadas da Amazônia e o agronegócio, segundo uma carta aberta do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) enviada ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

“Para uma nação que exporta mais de 80% de sua produção de couros, chegando a gerar US$ 2 bilhões em vendas ao mercado externo em um único ano, trata-se de uma informação devastadora”, informou o documento assinado pelo presidente-executivo do CICB, José Fernando Bello.

Segundo a associação, as marcas que solicitaram a suspensão são Timberland, Dickies, Kipling, Vans, Kodiak, Terra, Walls, Workrite, Eagle Creek, Eastpack, JanSport, The North Face, Napapijri, Bulwark, Altra, Icebreaker, Smartwoll e Horace Small.

A carta evitar responsabilizar o governo brasileiro pela situação das queimadas na Amazônia ao afirma que entende uma “interpretação errônea do comércio e da política internacionais acerca do que realmente ocorre no Brasil”, porém ressalta que é “inegável a demanda de contenção de danos à imagem do país no mercado externo sobre as questões amazônicas”.

“Com isso, o CICB está dedicando seu trabalho à tentativa de reversão deste quadro junto aos clientes do couro brasileiro. Ao mesmo tempo, solicita ao ministério uma atenção especial sobre a realidade que já nos é posta, com a criação de barreiras comerciais por importantes marcas ao produto nacional”.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!