CNC estima crescimento de 0,9% no PIB em 2019

A Confederação Nacional do Comércio (CNC) estimou que o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, vai crescer 0,9% em 2019. Se isso ocorrer, o resultado vai acompanhar o ritmo dos últimos dois anos. Conforme as projeções da entidade, o consumo das famílias deve subir 0,6% no terceiro trimestre e 0,9% nos três últimos meses do ano. 

O cálculo foi feito após a divulgação, nesta quinta-feira (29), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de variação positiva de 0,4% do PIB, no segundo trimestre deste ano.

Segundo a CNC, a leve alta no período “impediu que se configurasse uma nova recessão técnica”, que é quando há o registro de queda em dois trimestres seguidos. Nos três primeiros meses do ano o PIB apresentou recuo de 0,1%. 

O economista da CNC, Fábio Bentes, disse que a expectativa é que as medidas de estímulo à economia possam levar o consumo das famílias, principal agregado das contas nacionais, a fechar o ano com alta de 2,0%.

Na visão de Bentes, o ritmo de compras das famílias continua tendo influência da inércia do mercado de trabalho, embora não seja determinante para o seu desempenho final. “A inflação baixa permitiu que esse componente da demanda, responsável por quase dois terços do PIB, alcançasse o décimo trimestre sem o registro de retrações”, apontou.

A CNC destacou ainda que pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2017, a indústria teve elevação de 0,7% e foi a principal responsável pelo crescimento do PIB, seguida pelo setor de serviços com alta de 0,3%. A agropecuária, no entanto, apresentou queda de 0,4%. Ainda conforme a entidade, o comércio, “segue sua lenta recuperação, avançando acima da média pelo segundo trimestre seguido”. No período teve alta de 0,7%. “O nível de atividade do setor ainda se encontra 8,9% abaixo daquele observado antes da crise iniciada há cinco anos”, apontou.

Edição: Aline Leal

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!