Guedes: Semana que vem a gente já começa com nossa proposta tributária – Exame

O ministro da Economia afirmou que preferia ter tratado antes sobre o Pacto Federativo, mas o Congresso pressionou pela reforma tributária

Por Estadão Conteúdo

access_time 23 set 2019, 21h53 – Publicado em 23 set 2019, 21h51

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em evento na noite desta segunda-feira, 23, que o governo vai acelerar nos próximos dias os estudos para a reforma tributária. “Semana que vem a gente já começa a entrar com a nossa proposta tributária”, garantiu, durante palestra em Belo Horizonte.

Ao comentar o tema, ele citou por alto o processo de demissão de Marcos Cintra, ex-secretário da Receita Federal. Na fala de mais de uma hora, Guedes reconheceu que, após a Previdência, o governo gostaria de tratar do pacto federativo com o Congresso, mas os parlamentares estavam dispostos a debater no momento a reforma tributária.

“Tem uma questão de timing político. Tive de recuar e fazer a tributária”, afirmou. Ao defender o pacto federativo, o ministro voltou a dizer que a proposta é “desindexar e desvincular” recursos, para que o dinheiro vá “para onde o povo está”.

“Temos de devolver os orçamentos públicos para a classe política. É preciso descarimbar o dinheiro público”, afirmou. Guedes participou do 10º Fórum Liberdade e Democracia, no qual proferiu a palestra de encerramento.

Política econômica do Governo Bolsonaro

No evento, o ministro reconheceu as críticas aos resultados da política econômica até agora, mas ressaltou que vê avanços desde a chegada do presidente Jair Bolsonaro ao poder.

“Reclamar que em cinco, seis meses, não houve entrega, que o Brasil não está crescendo. Nós estamos tentando reanimar a baleia. Dá um tempinho para a gente. Ficaram furando a baleia por 40 anos”, disse, ao fazer analogia do animal com a economia brasileira.

De acordo com o ministro, a economia já está “começando a andar mais rápido neste semestre” e que ano que vem “vai andar mais rápido ainda”. “Dá um tempo, um apoio”, pediu.

Ele voltou a esboçar um quadro de recuperação econômica. “O primeiro ano é de sacrifício. No segundo, a economia está se movendo melhor. No terceiro, decolar. E no quarto estará em velocidade de cruzeiro”, argumentou. “Estamos absolutamente seguros que estamos fazendo a coisa certa.”

Guedes disse ainda que o Congresso é parceiro nas reformas e que elas estão “começando a andar”. Ele ressaltou também que a equipe não quer “cair no erro da Argentina”, que optou pelo gradualismo no processo de ajuste.

Imediatamente, porém, ele evitou continuar as críticas à economia do país vizinho. “Quando falei de outro país da outra vez, andei falando besteira, fiz comentários inadequados”, afirmou, ao fazer uma alusão aos comentários que fez sobre a primeira-dama da França, Brigitte Macron.

 

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!